Local de fuga em massa em SC deve ser fechado até abril

Luiz Nunes
Especial para o UOL Notícias
Em Florianópolis (SC)

A Central de Triagem de Florianópolis, onde aconteceu a maior fuga do sistema prisional de Santa Catarina, domingo, deve ser fechada até abril, por determinação judicial. Em duas grandes evasões, em dez meses, 112 pessoas deixaram o local, conhecido como Cadeião do Estreito.

No último domingo (8), escaparam cerca de 70 presos - o número ainda será fechado após uma recontagem. Em julho de 2008, 43. O fechamento da unidade foi solicitado antes mesmo das fugas, pelo Ministério Público de Santa Catarina.

O pedido foi acolhido pelo juiz da Vara da Fazenda Pública da Capital, Helio do Valle Pereira. Por enquanto, não há local determinado para remanejar os detentos do Cadeião do Estreito.

O secretário de Justiça e Cidadania do Estado, Justiniano Pedroso, afirma que o prefeito de São José, na Grande Florianópolis, Djalma Berger, confirmou que aceitaria a instalação da Central de Triagem. No entanto, a idéia ainda não saiu do papel e não haverá tempo hábil para a execução da obra até abril. "Estamos consultando a viabilidade para construir. A população quer que tire o bandido da rua, mas infelizmente, há muita resistência para se construir cadeias públicas", reclama, sobre as dificuldades em instalar a central em outra região.

De acordo com o coordenador do Centro Operacional Criminal do MPSC, Andrey da Cunha Amorim, pode haver interdição judicial sobre o Estado, em caso de descumprimento da decisão. "Mas o Estado há de cumpri-la, pelas conversas que tivemos com as autoridades na área", aposta.

Atualmente, na Grande Florianópolis, apenas a capital conta com o espaço para abrigar presos provisórios. Palhoça possui um local considerado inapropriado e Biguaçu tem uma central sem condições plenas para abrigar presos, segundo a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Santa Catarina. São José, uma das cidades que mais demanda criminosos, não possui serviço semelhante.

Independentemente da opinião da população ou do prefeito, é necessário haver uma cadeia pública para cada comarca e o Estado tem sido omisso em cumprir a Lei de Execuções Penais. Essa é a opinião do presidente da Comissão de Violência Pública e Criminalidade da OAB/SC, Lídio Moises da Cruz.
  • Agência RBS

    A Polícia Militar de Florianópolis afirma que recapturou 24 dos 70 detentos que fugiram da Central de Triagem, conhecida como Cadeião do Estreito


"Tem que dar um jeito. Não se pode dizer que a população não quer, pois o Estado tem meios coercitivos para obrigar a população a querer e ponto", enfatiza.

O Departamento de Administração Prisional de Santa Catarina (Deap) refaz durante a tarde as contas do número de presos que ficaram na unidade. Pela manhã, foi divulgado que 69 dos 133 detentos haviam fugido.

Por volta das 15 horas, foi confirmada a evasão de 70 pessoas e há suspeita de que o índice aumente para 71, o que será definido pela recontagem. Até as 15h30, 28 fugitivos retornaram à Central. Cinco se entregaram e 23 foram recapturados.

As polícias Civil e Militar estão mobilizadas no resgate dos fugitivos. Para realizar as buscas, 60 PMs reforçam o efetivo. Pela Civil, ao menos 20 agentes da Central de Operações Policiais (COP) estão empenhados, com o uso de helicóptero.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos