Ibama multa consórcio responsável por obras de Jirau

Da Agência Brasil
Em Brasília

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) multou em R$ 475 mil o consórcio Energia Sustentável do Brasil, responsável pela construção da hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, em Rondônia.

Segundo nota divulgada hoje (10) pelo órgão ambiental, a autuação ocorreu na última sexta-feira (6), em função da empresa ter cortado, sem autorização, 18,65 hectares de floresta nativa de uma área de preservação permanente, o correspondente a 186,5 mil metros quadrados. Além da multa, a área de onde a vegetação foi irregularmente cortada está embargada.

De acordo com o Ibama, o consórcio tem autorização para retirar 40,83 hectares de vegetação da margem direita do rio Madeira, local onde pode abrir estradas de acesso, além de preparar as áreas reservadas à pedreira e ao estoque do material utilizado no canteiro de obras. Os 18,65 hectares degradados, no entanto, ficam em uma área de preservação permanente onde a empresa só poderia interferir em menos de dois hectares.

A empresa, que tem 20 dias para recorrer da multa, confirmou ter sido notificada ontem (9) e diz estar analisando a autuação para definir como irá tratar o assunto.

A licença de instalação para o canteiro de obras foi concedida à empresa em novembro de 2008 e permite a instalação do canteiro de obras, além da construção de uma ensecadeira que servirá para desviar o rio enquanto as turbinas da hidrelétrica são instaladas. A previsão é de que a licença de instalação que permitirá à empresa construir os reservatórios, seja concedida em abril.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos