Preso suspeito de matar jovem e estuprar estudante no litoral do PR; vítima reconhece criminoso

Marcus Vinicius Gomes
Especial para o UOL Notícias
Em Curitiba (PR)

A estudante Monique Lima, 23 anos, reconheceu na tarde desta terça-feira, o homem que foi preso pela polícia do Paraná como suspeito de tê-la estuprado e baleado e ainda ter matado seu namorado, o estudante de Direito Osiris Del Corso, 22 anos, no fim de janeiro. As informações foram dadas pelo pai da jovem, Lourival Pegorare, em entrevista à Bandnews.

Entrevista

"O mais difícil mesmo foi ficar vendo o meu namorado morto na minha frente. Aí não foi brincadeira, não. Um cabra bom daquele levar um pipoco e morrer desse jeito é muita sacanagem. Não merecia, não", afirmou a estudante, por telefone, à Folha

A Polícia Civil do Paraná prendeu o suspeito nesta manhã, em Matinhos, no litoral do Estado. A prisão foi determinada por ordem judicial e, segundo a Secretaria de Segurança Pública, até que as provas confirmem a participação do suspeito, a Polícia Civil manterá a identidade do preso sob sigilo.

Na entrevista concedida à Bandnews, Lourival Pegorare disse que a estudante teria reconhecido o criminoso em foto apresentada pelo delegado Luiz Alberto Cartaxo Moura, que coordena a força-tarefa designada para solucionar o caso. "Ela está convicta. Faz tempo que o delegado (Cartaxo) vinha trazendo fotos para que minha filha reconhecesse. Quando ela viu o cara, reconheceu na hora", disse Pegorare.

Segundo ele, a reação de Monique ao ver o homem foi chorar. "Ela conviveu muito tempo com o bandido", afirmou. Além das fotos, um vídeo e um aúdio do criminoso também foram usados na identificação.

A Polícia Civil não confirma, mas deve transferir o suspeito para Curitiba assim que o procedimento de investigação for concluído.

De acordo com informações de integrantes da força-tarefa, o criminoso era morador de Matinhos e morava em uma casa próxima ao Morro do Boi, onde o casal foi rendido na tarde do dia 31 de janeiro, um sábado, quando caminhava por uma trilha em direção à Praia dos Amores.

Como foi o crime
Armado com um revólver calibre 38, o suspeito obrigou Del Corso e Monique a seguir para uma gruta. Lá, o estudante foi morto com um tiro no peito ao tentar evitar que a namorada fosse estuprada. Monique foi baleada nas costas, e horas depois, violentada pelo homem.

Monique foi resgatada 18 horas depois pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para o Hospital Vita, em Curitiba. Por causa do tiro que a atingiu, ela perdeu o movimento das pernas e, segundo a Junta Médica do hospital, corre o risco de ficar paraplégica.

Em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", no domingo (15), Monique disse que seu namorado foi um herói ao defendê-la do estupro e que só estava viva porque Del Corso se colocou na sua frente quando o criminoso disparou a arma na primeira vez. "Um cabra bom como esse não merecia essa sorte", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos