Polícia identifica um dos assaltantes de albergue em Copacabana (RJ)

Da Agência JB

Segundo assalto em 24 horas

  • Urbano Erbiste/CPDoc JB
  • Urbano Erbiste/CPDoc JB
  • Urbano Erbiste/CPDoc JB

    Nesta quarta (19), 4 bandidos armados com pistolas e granadas assaltaram 13 turistas em albergue em Copacabana; as vítimas foram até a delegacia registrar a ocorrência


O delegado titular da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat) do Rio de Janeiro, Fernando Veloso, informou nesta quinta-feira (19) que um dos assaltantes de um albergue em Copacabana foi identificado. Ontem, quatro bandidos armados com pistolas e granadas invadiram o albergue e assaltaram 13 turistas -11 israelenses, um alemão e um colombiano.

Rodrigo Mota Coutinho, de 26 anos, conhecido como "Pelico de Leme", está foragido da polícia desde 2005 e já esteve preso por porte ilegal de armas. Rodrigo foi reconhecido por duas das 13 vítimas. Ainda segundo o delegado, o grupo era composto por jovens de classe média.

Outros três integrantes do grupo estão sendo procurados pela polícia. Os investigadores aguardam as imagens do circuito interno de prédios e estabelecimentos comerciais vizinhos do albergue. "A versão de que um funcionário esteja envolvido na ação se enfraquece no andamento das investigações", disse Veloso.

24 horas, dois assaltos
Dois assaltos ocorreram em menos 24 horas a albergues no Rio de Janeiro. O governador Sérgio Cabral (PMDB) afirmou, durante inauguração da pedra fundamental do Hospital Pró Criança, em Botafogo, que pediu à cúpula de Segurança Pública do Estado que intensifique as investigações. Para Cabral, as ações são coordenadas por uma quadrilha.

"Isso dói meu coração, mais ainda porque fui eu que lancei os albergues da juventude no Brasil. Para mim, é uma dor muito forte ver um produto que lancei há 20 anos e que deu tão certo sofrer ataques deste tipo. Não me meto em investigações, mas me parece que há uma quadrilha agindo", disse.

Um assalto a mão armada ocorrido esta madrugada no albergue da juventude Samba Villa, no bairro da Lapa, Rio de Janeiro, não surpreendeu o turista francês Ivo Martinez, de 23 anos. Pela primeira vez na cidade, ele afirma que não ficou impressionado com a ação dos bandidos, pois tinha sido alertado por amigos sobre a violência no Brasil.

"Já vim preparado para ser assaltado", revela o francês, adiantando que não sabe se voltará ao país. A ação custou-lhe US$ 300, além de máquinas e celulares.

Já a turista amazonense Priscila Medeiros, de 34 anos, estudante, está assustada com a violência e disse que não pretende ficar na cidade. Ela chegou ao albergue às 5h, pouco depois do assalto. "É triste voltar de uma festa e não saber o que fazer", lamentou. "Como se não bastasse a insegurança nas ruas, chego ao albergue para descansar e vejo que tudo foi revirado."

De acordo com as primeiras informações de policiais do 13º Batalhão da Polícia Militar, a invasão ao albergue da juventude Samba Villa ocorreu por volta das 5h desta quinta. A polícia investiga a participação de um ex-funcionário no crime.

Uma quadrilha com ao menos sete homens assaltou 34 turistas, brasileiros e estrangeiros. As vítimas registraram ocorrência na Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), no Leblon.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos