Deputados vão a Santa Catarina debater prevenção de enchentes

Da Agência Câmara

Três meses depois das enchentes que atingiram Santa Catarina, deputados federais visitam hoje e amanhã as cidades que foram mais afetadas pelas chuvas e desabamentos. Hoje, os integrantes da Comissão Externa de Acompanhamento da Tragédia Climática de Santa Catarina farão reuniões com as comunidades de Criciúma, às 9h30; Palhoça, às 14h30; e Joinville, às 19h30. Amanhã irão a Blumenau e Itajaí.

O presidente da comissão, deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), informou que a visita tem três objetivos: fazer um balanço dos acontecimentos, especialmente das ações dos governos federal e estadual nas regiões; identificar os problemas que persistem e combinar uma intervenção entre os poderes para solucioná-los; e debater e definir formas de prevenção de desastres na região.

"Será uma oportunidade de conversar com os novos prefeitos e vereadores que assumiram em janeiro e escutar a comunidade dessas cidades", destacou Bornhausen.

Centro de climatologia
Os deputados querem ver como está a reconstrução das cidades, além de fazer um balanço das causas e consequências da tragédia para a economia, o povo e o meio ambiente. Eles também pretendem analisar sugestões de prevenção para evitar novas tragédias com o excesso de chuvas na região. Entre as questões que serão abordadas, estão as mudanças climáticas e o uso desordenado do solo.

"O grande trabalho da comissão, no longo prazo, é definir formas de trabalho para preparar a região e o país para as consequências do aquecimento global. Há um projeto, também, de transformar Santa Catarina num centro mundial de climatologia e prevenção de desastres", adiantou Bornhausen.

A pauta das reuniões com autoridades e representantes da sociedade civil dos municípios mais atingidos pela catástrofe abordará ainda aspectos de infraestrutura, como a recuperação do porto de Itajaí e de estradas na região, a reconstrução das casas, as formas de ajuda humanitária aos desabrigados e a necessidade de apoio psicológico para as famílias desestruturadas.

Saldo da tragédia
Durante as enchentes, mais de 78 mil pessoas ficaram desabrigadas. Até o dia 16 de fevereiro, segundo a Defesa Civil do Estado, ainda havia 2.637 pessoas desabrigadas e 9.390 desalojados. No total, 135 pessoas morreram e duas permanecem desaparecidas: um bebê de 11 meses e uma senhora de 79 anos.

Mais de 50 municípios foram atingidos pelas chuvas e desabamentos. De acordo com a Secretaria Estadual da Fazenda de Santa Catarina, a enchente comprometerá o PIB (Produto Interno Bruto) catarinense em R$ 2 bilhões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos