PF continua em Brasília análise de fragmentos de explosão que matou peritos em Manaus (AM)

Amanda Mota
Da Agência Brasil
Em Manaus

Terminaram nesta quinta-feira (5), em Manaus, os trabalhos realizados por sete peritos da Polícia Federal que examinaram o local onde, no último dia 27, ocorreu uma explosão que matou três peritos criminais da instituição.

Segundo o superintendente da PF no Amazonas, Sérgio Fontes, amanhã (6) a equipe seguirá para Brasília para dar continuidade à investigação. Ele afirmou que ainda não se sabe o motivo da explosão e como ela ocorreu.

Fontes contou que a bomba d'água em forma de cilindro com a qual as vítimas foram vistas pela última vez, meia hora antes do acidente, foi encontrada intacta.

"Já sabemos que não foi o cilindro que explodiu porque foi encontrado intacto no local do acidente. Tudo que os peritos precisavam fazer aqui está sendo finalizado hoje. A partir de agora, eles iniciarão uma nova etapa dos trabalhos, que inclui a realização de exames laboratoriais das amostras dos materiais, que estão sendo levadas para Brasília. São exames específicos que serão feitos em laboratórios tecnicamente competentes para isso", disse.

No material que será examinado em Brasília, há 40 amostras de substâncias diversas, entre elas fragmentos de parede, de mesas e equipamentos e, ainda, cartões de máquinas fotográficas encontrados na área do acidente.

O superintendente ressaltou que o resultado dessas investigações contribuirá para garantir mais segurança aos policiais federais no país.

"Por enquanto não é o momento de descartarmos hipóteses, mas a minha opinião é de que houve um acidente de trabalho. Não tenho a menor dúvida de que, dessa investigação, vão surgir procedimentos, normas, adaptações e revisões que impeçam a ocorrência de outros eventos como essa explosão, não só em Manaus, mas também em outros locais do país", acrescentou.

Também é feito um levantamento de quantas perícias estavam pendentes no local da explosão, o Laboratório de Análises Criminais. O objetivo é coletar o máximo de informações que possam auxiliar na descoberta das causas do acidente.

Único sobrevivente que estava na área da explosão, Marcos Antônio Mota Ferreira será ouvido em depoimento nos próximos dias. O chefe da equipe de peritos, Antônio Carlos Mesquita, ressaltou que somente com o resultado da análise de todos os fragmentos selecionados será possível apontar o que explodiu e de que maneira.

"Não sabemos, por exemplo, se apenas um deles estava manuseando o objeto. Só depois de avaliarmos o resultado de todos os exames é que poderemos identificar o que houve e o que explodiu", disse Mesquita.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos