Ceará já soma 24 mortes violentas de mulheres em 2009

Lauriberto Braga
Especial para o UOL Notícias
Em Fortaleza

Vinte e quatro mulheres foram mortas violentamente este ano no Estado do Ceará. Em 16 dias de março deste ano, já foram registrados 10 casos.

Números da SSPDS (Secretaria de Segurança Pública e Defesa do Estado) apontam que foram assassinadas 118 mulheres no Estado em 2007. No ano passado, o número caiu para 93, uma redução de 14% em relação a 2007. Se os casos continuarem nesse ritmo, os números de 2009 devem superar os de 2008 com facilidade.

Os crimes são, na maioria, passionais, segundo levantamento da secretaria. Os homens matam as mulheres principalmente por ciúme, atesta o Fórum Permanente Cearense de Defesa da Mulher.

No último final de semana, foram registradas três mortes de mulheres no Estado, nas cidades de Fortaleza, Jardim e Acopiara. Cícera Cândida Leonardo da Silva, 23, recebeu golpes de faca do ex-namorado e morreu na hora, quando voltava de uma festa na noite de domingo (15), em Acopiara, a 360 quilômetros de Fortaleza. O ex-namorado fugiu, e o corpo de Cícera foi encontrado às margens de uma estrada vicinal.

O segundo caso ocorreu em Jardim, município na região do Cariri cearense. Ana Cristina de Oliveira, 24, foi assassinada a facadas, segundo a polícia, por Josiano Borges do Nascimento, com quem mantinha um relacionamento amoroso.

Em Fortaleza, Alana Inácio da Silva, 14, foi morta com um tiro, no tórax, no sábado (14), no bairro Edson Queiroz. Neste terceiro caso, a causa não foi passional: ela estava num fogo cruzado de uma briga de gangues do bairro.

Entretanto, o crime que mais chamou a atenção no Estado este ano foi o que vitimou Ana Maria da Conceição, 15. Ela foi morta, por ciúmes, pelo namorado Renato Caetano Dantas, 21, na noite do dia 12 de março. Dantas invadiu a casa de Ana Maria, em Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza, e a matou com um tiro. Renato ainda tentou matar a mãe de Ana Maria, Maria Vanusa, 37, e uma irmã dela de seis anos - ambas ficaram apenas feridas - e depois se matou. Vanusa e a filha estão internadas há quatro dias, e o estado de saúde delas é estável.

Com a Lei 11.630, de 2006 (Maria da Penha), as denúncias de violência contra as mulheres cresceram 40% em dois anos no Ceará, segundo estatística da SSPDS. Foram realizadas 800 prisões pela lei e abertos 3.100 processos, sendo que foram tomadas 1.700 medidas de proteção às vítimas.

Dos 184 municípios do Ceará, apenas sete têm delegacia da Mulher: Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Iguatu, Sobral, Crato e Juazeiro do Norte. Há uma lei estadual que determina a abertura de uma Delegacia da Mulher em todos os municípios com mais de 60 mil habitantes. O governador Cid Gomes (PSB) promete que, até 2010, as 43 cidades com mais de 60 mil habitantes contarão com o serviço.

A juíza Andréa Pachá, do Conselho Nacional de Justiça, disse durante o 'Seminário Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher', na semana passada, em Fortaleza, que "geralmente as mulheres não querem seus companheiros presos, porque elas entendem que a prisão não é a melhor forma de resolver o problema". Isso, em muitos casos, inibe a vítima de denunciar o ato violento.

Já a juíza da Mulher da Comarca de Fortaleza, Rosa Mendonça, afirmou: "atendemos pessoas de baixa renda que, em sua maioria, desconhecem seus direitos". Para ela, o importante é denunciar, "porque o silêncio é o cúmplice da violência".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos