Entidade defende aumento salarial ou oficialização do bico na PM fluminense

Da Agência JB

O presidente da Associação dos Militares Auxiliares e Especialistas, Melquisedec do Nascimento, disse nesta quarta-feira que a declaração do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, de que não vai combater o bico dos policiais enquanto o governador Cabral não pagar salários justos, é coerente.

"Combater o bico sem a contrapartida de um salário decente seria privar os policiais da condição mínima da subsistência dele e de sua família", afirmou Nascimento.

Melquisedec dá como exemplo um policial que começa na corporação ganhando o salário básico - entre R$ 800 e R$ 900. Se pagar R$ 500, de aluguel, restam R$ 300 para passar o mês.

"Não tem como viver só com um salário", diz.

Para ele, o governador Sérgio Cabral estava ciente do que Beltrame falaria, pois sua declaração deixa claro que o Estado defende o segundo emprego. Melquisedec disse ainda acreditar que a PM receberá um bom aumento no dia 13 de maio, quando completará 200 anos de fundação.

"Queremos equiparar o soldo, que é de R$ 286, ao salário mínimo, ou seja, a R$ 465, ainda que seja parcelado. Hoje, é o pior salário do Brasil."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos