Justiça pode intervir em decisão de menina de 13 anos grávida na Bahia

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

A menina de 13 anos que engravidou após ter sido estuprada pelo pai na Bahia terminou nesta quinta-feira (19) uma série de exames que serão analisados pela Justiça para decidir se ela deve ou não ser submetida ao aborto.

A adolescente já decidiu ter o filho. No entanto, tanto o juiz quanto a conselheira tutelar que cuida do caso podem intervir na decisão. A informação é do site do jornal "A Tarde".

A garota passou por exames de ultrassom, sangue e urina no Insituto de Perinatologia da Bahia, em Salvador. Ontem (18), ela conversou com psicólogo e uma assistente social, segundo o "A Tarde". Como seu único responsável legal era seu pai, ela está sob cuidados do Conselho Tutelar e volta ainda hoje para sua casa no município de Guaratinga, no sul da Bahia.

O pai da jovem foi preso no último dia 12, por suspeita de violenta-la. O homem confessou que cometia abusos contra a filha desde a morte da mãe, em 2007.

O Conselho Tutelar de Guaratinga já havia recebido denúncias de abuso sexual na casa da família da menina no final de 2008.

*Com informações da Folha Online

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos