Deputado afastado de Alagoas é preso sob acusação de assassinato

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

A Polícia Civil de Alagoas prendeu na manhã desta sexta-feira (20) o deputado afastado Cícero Ferro (PMN). Ferro é acusado de homicídio qualificado do vereador da cidade de Delmiro Gouveia, Fernando Aldo, ocorrido em outubro de 2007. O deputado foi flagrado em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça combinando o crime com os supostos assassinos. Ferro também é acusado de formação de quadrilha.

Desvio de R$ 300 milhões

O afastamento de deputados da Assembleia Legislativa de Alagoas foi uma das consequências da Operação Taturana, deflagrada pela Polícia Federal em dezembro de 2007. A partir daí, teve início uma forte disputa judicial envolvendo o controle da Mesa Diretora e suspeitas de homicídio. Ferro foi um dos afastados



A solicitação da prisão partiu do Grupo Estadual de Combate às Organizações Crimonosas e foi acatada da 17ª Vara Criminal de Maceió. A prisão aconteceu por volta das 6h30, na residência do parlamentar, no condomínio Albedaran, um dos mais luxuosos de Maceió (AL).

Ferro não resistiu e foi levado de imediato ao Instituto Médico Legal (IML) da capital alagoana para exame de corpo de delito. Em seguida, ele foi levado à sede da Polícia Federal, onde deve ficar preso.

Na chegada ao IML, ele garantiu que não sabia do motivo da prisão. "Não sei de nada, só sei que segunda-feira (23) estarei solto", afirmou o deputado.

O advogado do parlamentar, Welton Roberto, assegurou que pretende ter uma reunião com a presidente do Tribunal de Justiça, Elizabeth Carvalho, para informar sobre os "abusos" que estariam acontecendo no Estado.

"Vou falar com a presidente e vou este fim de semana a Brasília para conversar com o presidente do STF [Gilmar Mendes] para informar o que está acontecendo em Alagoas. Vamos mostrar que a Justiça sabia que não podia prender ele. Não tenho dúvida que é perseguição", garantiu. Um pedido de habeas corpus deve ser impetrado ainda hoje.

Polêmica e prisões
O deputado afastado causou polêmica nos últimos dias por desafiar a Justiça e comparecer às sessões da Assembleia Legislativa, chegando a discursar no dia da eleição da Mesa Diretora.

Na última terça-feira (17), o Tribunal de Justiça determinou que, caso ele voltasse a discursar ou tivesse direito a voto, seria preso junto com o presidente da Assembleia, deputado Fernando Toledo (PSDB).

Ferro alega uma decisão do STF que beneficiou nove deputados para comparecer à Assembleia, mas a Justiça de Alagoas informou que uma segunda liminar, ainda em primeira instância, também afasta sete dos nove parlamentares. Com isso, sete deputados seguem afastados por acusação de participação em um esquema que desviou R$ 300 milhões do Legislativo alagoano.

Em julho de 2008, Cícero Ferro já tinha sido preso pelo susposto assassinato do primo dele, Jacó Ferro, ocorrido em janeiro de 2005. Em dezembro de 2007, também foi preso durante a Operação Taturana, da Polícia Federal, por ter posse de armas irregulares em sua casa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos