Cinco pessoas morrem durante tiroteios na zona sul do Rio

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizado às 23h29

Um intenso tiroteio voltou a acontecer no início da noite desta segunda-feira (23) na Ladeira dos Tabajaras, na zona sul do Rio de Janeiro, deixando quatro mortos. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, no total, cinco pessoas morreram baleadas hoje e outros dois homens foram presos. Todos eram supostos criminosos. Mais cedo, uma operação policial na região já havia deixado uma pessoa morta. Outras 12 foram presas - duas apresentavam ferimentos.
  • Urbano Herbiste/CPDoc JB

    Durante operação na tarde de hoje, uma pessoa morreu e outras 12 foram presas


Os tiroteios têm sido constantes na região desde o fim de semana, quando traficantes da favela da Rocinha, em São Conrado, tentaram invadir a Ladeira de Tabajaras, em Copacabana. A polícia está fazendo operações na área desde o início do conflito.

Agora à noite, policiais suspeitaram de homens que estavam em uma van. Segundo a PM, os agentes cercaram o carro, foram recebidos a tiros e revidaram. No tiroteio, cinco vítimas morreram - os dois presos também estavam dentro do veículo. Os homens estariam tentando fugir do morro pelo fim da rua Santa Clara. Com a troca de tiros, foram fechados o túnel Velho, que liga Copacabana a Botafogoa, e a rua Toneleros. Motoristas em pânico tentavam fugir do engarrafamento sem saber por onde era seguro passar. Cerca de uma hora antes, o mesmo aconteceu na rua Pinheiro Guimarães, em Botafogo. Uma intensa troca de tiros assustou os motoristas, que chegaram a abandonar os veículos na rua.

Durante o tiroteio no começo da noite, um engenheiro da Petrobras ficou preso numa padaria na rua Santa Clara. M., que pediu para não ser identificado, escutou os tiros e se refugiou nos fundos da padaria.

"Escutamos uma troca de tiros muito violenta que demorou uns 20 minutos, não sei bem, perdi a noção do tempo. Aí chegou uma pessoa correndo em busca de abrigo e disse que encurralaram uma van de transporte alternativo com os bandidos", conta o engenheiro, que afirma ter visto um veículo todo metralhado após sair da padaria. Segundo a testemunha, "tinha de quatro a cinco bandidos mortos. Só vi os caras jogando os corpos dos bandidos na caçamba", diz.

Reféns e escolas sem aula
A guerra entre traficantes rivais trouxe pânico a moradores de três bairros da zona sul carioca: Humaitá, Copacabana e Botafogo.

Parte dos 12 suspeitos presos durante o dia fizeram operários reféns em uma obra no Humaitá quando tentava fugir da favela. Os suspeitos queriam roubar os uniformes dos trabalhadores para escapar do cerco policial. A PM conseguiu negociar a libertação dos operários e prendeu os criminosos.

Mais cedo, a Secretaria Municipal de Educação informou que 124 crianças ficaram sem aulas hoje na creche Tia Sonia Crispiniano, na Ladeira dos Tabajaras, que foi fechada por causa da troca de tiros. Escolas de fora do morro, em bairros como a Fonte da Saudade e Botafogo, também liberaram os alunos, com medo de que fossem atingidos por balas perdidas.

* Com informações das agências JB e Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos