Rodoviários decretam greve, e 700 mil ficam sem ônibus em Caxias e Magé (RJ)

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizada às 11h53

Rodoviários dos municípios de Magé e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, decretaram, na noite de segunda-feira (30), uma greve por tempo indeterminado por melhores salários. A paralisação foi deflagrada no primeiro minuto desta terça-feira (31).

Greve de ônibus nesta terca-feira

Segundo a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), cerca de 700 mil pessoas são atingidas pela greve.

Boletim divulgado pelo sindicato patronal afirma que os veículos das empresa Fabio's, Limousine Carioca e Jurema não estão circulando. Já as empresas Machado e União estão operando com 30% da frota e a Trel, com 35%.

Os cerca de 3.000 rodoviários dos dois municípios reivindicam um reajuste salarial de 10%, mais cesta básica de R$ 60. O Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários em Duque de Caxias e Magé (Setransduc) ofereceu 7% para o salário e 10% para a cesta básica.

Segundo a Fetranspor, dois ônibus da empresa Reginas foram depredados em Duque de Caxias. Não há informações sobre suspeitos ou os locais onde os veículos foram danificados.

A federação informou que pretende entrar na Justiça para tentar garantir um número maior de ônibus circulando nos dois municípios. De acordo com um diretor da Fetranspor, João Augusto Monteiro, as empresas estão com cerca de 30% das frotas nas ruas.

Conforme levantamento feito pelo JBOline com funcionários de algumas das principais empresas de ônibus de Duque de Caxias, como Limousine Carioca, Reginas e Vera Cruz, nenhum coletivo deixou as garagens durante a madrugada. Grupos de rodoviários promovem piquetes, mas não foram registrados incidentes até o momento.

Um funcionário da Viação Trel informou que não há piquete na porta da empresa e que alguns ônibus deixaram a garagem. Na Viação União, também em Duque de Caxias, cerca de cinco veículos também conseguiram sair.

Devido à paralisação, as estações ferroviárias das cidades registraram movimento intenso. A concessionária SuperVia, que administra o serviço, informou que um esquema especial foi montado para atender aos moradores da região, com mais trens à disposição e mais funcionários nas bilheterias e na segurança. De acordo com a SuperVia, o intervalo entre as combinações foi reduzido de 20 para 14 minutos.

Paralisação em cinco municípios
Na sexta-feira passada, os rodoviários de cinco municípios da região metropolitana do Rio (Niterói, São Gonçalo, Maricá, Tanguá e Itaboraí) entraram em greve. De acordo com os setores patronais, a paralisação, que terminou no mesmo dia, atingiu 1 milhão de pessoas.

Os grevistas decidiram durante assembleia aceitar a proposta de reajuste salarial de 7% feita pelo Setrerj (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do estado do Rio), além de um aumento de 10% no valor da cesta básica e de 10% no valor quadrimestral do uniforme, segundo a Fetranspor.

*Com informações de 'Agência JB', 'Folha Online' e 'Extra Online'

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos