AM anuncia situação de emergência devido às enchentes, e pede ajuda às Forças Armadas

Especial para o UOL Notícias
Em Manaus (AM)

O governo do Amazonas deve decretar situação de emergência em todo o Estado a partir de amanhã (2) e iniciar uma operação de assistência às vítimas das enchentes, com apoio das Forças Armadas. A informação foi dada nesta quarta-feira (1º) pelo secretário de Estado, José Melo. Dezesseis municípios já foram atingidos pela cheia que, segundo o Serviço Geológico do Brasil, será a maior em 56 anos. O aumento no nível dos rios no Amazonas já deixou 5.620 pessoas desalojadas e 182 desabrigadas no interior do Estado.

Rio Negro terá entre abril e junho a maior cheia desde 53

O fenômeno climático La Niña (que resfria as águas do oceano Pacífico e altera a circulação dos ventos na América do Sul) será o responsável nos próximos meses pela maior cheia do rio Negro, no Estado do Amazonas, desde 1953. O alerta foi feito nesta terça-feira (31) pelo Serviço Geológico do Brasil


O plano de assistência às famílias vai envolver a Defesa Civil estadual, o Corpo de Bombeiros, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica. "A situação de emergência vai nos permitir ajudar a população do interior. Os militares vão entrar com o apoio logístico na distribuição de cestas básicas e medicamentos às comunidades ribeirinhas", explicou José Melo.

De acordo com a assessoria de comunicação da Defesa Civil estadual, há pelo menos 70 mil cestas básicas disponíveis para serem distribuídas imediatamente. Além dos alimentos, serão distribuídos a partir desta semana remédios, cobertores, mosquiteiros, colchões e kits de limpeza. A situação é mais crítica para os municípios localizados às margens dos rios Solimões, Purus, Juruá e Amazonas. Segundo o coordenador adjunto da Defesa Civil, Hermógenes Rabelo, as famílias desabrigadas estão alojadas em quadras e escolas públicas dos municípios atingidos.

Entre os municípios mais afetados estão Benjamin Constant, Atalaia do Norte e Tabatinga, todos na calha do rio Solimões. Segundo meteorologistas, o nível do rio está acima da média por conta das fortes chuvas no Peru.

Em Manaus, a Defesa Civil municipal está doando madeira para as famílias cujas casas estão ameaçadas de submergir com a subida do nível do rio Negro. "Essa madeira é para que as famílias subam o assoalho de algumas casas construídas às margens dos igarapés que sobem com o rio. Eles também estão construindo pontes de uma comunidade para outra", disse o secretário municipal de Defesa Civil de Manaus, coronel Ari Renato.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos