Chuvas fortes deixam 10 mil desabrigados e fazem transbordar açudes no Ceará

Lauriberto Braga
Especial para o UOL Notícias
De Fortaleza

Atualizada às 18h57

Chuvas fortes atingiram hoje, na madrugada e durante a manhã, 138 dos 184 municípios cearenses. Segundo a Defesa Civil do Estado, 10 mil estão desabrigados e 5.000 desalojados.

Em Uruburetama (110 km de Fortaleza), o prefeito José Giuvan Pires Nunes (PRB) decretou estado de emergência.

As cheias dos rios e transbordamentos de açudes derrubaram dez casas no município. Pelo menos 2.500 pessoas tiveram que deixar suas residências e foram abrigadas em escolas e igrejas. Outras cem casas foram alagadas, mas os moradores permanecem nelas. Estradas no município foram interditadas e cinco comunidades estão isoladas, devido a deslizamentos de terra. Não foi registrada nenhuma morte pelas chuvas hoje.

"Estamos fazendo o possível para atender às pessoas atingidas pelas cheias do rio Mundaú e pela sangria do açude Mundaú, principalmente", disse o prefeito Giuvan Nunes. Ao decretar o estado de emergência, o município fica dispensado de realizar licitação para, por exemplo, comprar cestas básicas para as pessoas afetadas pelas enchentes.

O nível do rio Mundaú subiu 2 m, e o açude Mundaú transbordou ao atingir seu volume máximo de armazenamento, de 21,3 milhões de metros cúbicos. Em todo o Estado, as chuvas fizeram transbordar 24 açudes monitorados pelo governo. Hoje, a capacidade de armazenamento de água em açudes públicos cearenses chega a 74%; o normal, nesta época do ano, é cerca de 50%.

A Defesa Civil do Estado divulgou um balanço afirmando que atendeu a centenas de famílias com distribuição de cestas básicas, colchões, lonas, roupas e água potável. "Teve casas que desabaram e outras ficaram rachadas, com ameaça de cair", informou o coordenador da operação da Defesa Civil em Uruburetama, Leandro Silva.

As escolas onde as famílias foram abrigadas suspenderam as aulas por tempo indeterminado.

Em Itapajé (115 km de Fortaleza), cidade vizinha a Uruburetama, 150 famílias ficaram desabrigadas. Elas estão sem água potável e perderam seus pertences com a enxurrada.

A Defesa Civil do Estado já deslocou uma equipe para Itapajé com o objetivo de abrigar as famílias em escolas e levar alimentos e roupas, além de água potável. Na cidade, houve também deslizamentos que acabaram provocando fechamento de estradas vicinais e queda de postes de energia elétrica.

Em Crateús (347 km de Fortaleza), cerca de 50 famílias deixaram suas casas. Elas estão abrigadas provisoriamente em salas de aulas de escolas municipais.

A BR-020, na altura do km 334, está parcialmente interditada. As águas do rio Siriema levaram parte do acostamento e fizeram um buraco na rodovia. Policiais rodoviários federais controlam o tráfego pela faixa esquerda, que permanece liberada. Não há previsão, no momento, para a reconstrução da estrada.

Segundo informações da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), vai chover até maio. A previsão é que este inverno - no Nordeste, chama-se de inverno o período de chuvas, que vai de janeiro a maio - tenha uma média de chuvas acima da histórica no Estado, que é de 700 milímetros. Três cidades já acumularam neste ano chuvas acima de 1.000 milímetros (Acaraú, com 1.249 mm, Ubajara, com 1.192 mm, e Cascavel, com 1.040 mm).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos