Ferroviários do Rio entram em greve por tempo indeterminado; concessionária vai à Justiça contra paralisação

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizado às 16h30

A greve dos ferroviários do Rio de Janeiro, iniciada hoje (13), estava prevista para durar 24 horas, mas agora não tem data para terminar, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Central do Brasil, Valmir Índio Lemos. A concessionária Supervia informou que entrou na Justiça pedindo que a paralisação seja decretada abusiva e aguarda decisão do juiz.


O presidente do sindicato dos trabalhadores ferroviários alega que não há condições de segurança para os funcionários e passageiros. Diz ainda que a concessionária Supervia, que administra os cinco ramais de trens que passam por 11 cidades no Rio de Janeiro, recusa-se a dialogar.

"Queremos que a Supervia invista efetivamente no sistema ferroviário. É comum haver trens com problemas nos freios, é comum haver problema com sinalização. Isso está causando uma intranquilidade muito grande para a categoria". Segundo Índio, pelo menos uma vez por semana ocorre um acidente de trem e os maquinistas quase sempre são responsabilizados.

Governador cita Lula para criticar greve de ferroviários

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), criticou a paralisação doa ferroviários das linhas de trens de passageiros e citou o presidente Lula para dizer que o momento é inoportuno para fazer greve, devido à crise mundial.



O sindicalista acusou a empresa de demitir injustamente dez maquinistas que aderiram à greve e de ameaçar com a perda do emprego funcionários que participarem da greve. "Ainda assim, a adesão foi de quase 85%", disse Índio.

A Supervia afirmou que a paralisação teve adesão de 30% dos 300 maquinistas empregados pela empresa, afetando cerca de 120 mil passageiros. Por dia, as ferrovias fluminenses recebem em média 500 mil passageiros.

A concessionária prometeu retomar a circulação de trens nos cinco ramais que opera a partir das 16h. Com as mudanças, os trens dos ramais Japeri e Santa Cruz devem operar com intervalos de 20 minutos. No ramal Deodoro, o intervalo prometido é de 10 minutos. Já os ramais Belford Roxo e Saracuruna, que estavam fora de operação desde a manhã desta segunda-feira, devem operar com 30 minutos de intervalo.

Representantes do sindicato se reuniram hoje com integrantes da Agência Reguladora de Serviços Públicos concedidos de Transportes do Estado do Rio (Agetransp) para apresentar denúncias de falta de segurança nos trens.

*Com informações das agências Brasil e Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos