Bebê morre em consequência da chuva em Salvador; cidade decreta situação de emergência

Heliana Frazão
Especial pra o UOL Notícias
Em Salvador

Um bebê morreu na noite desta terça (21) quando a casa em que morava, na Baixa da Gamboa (Cidade Baixa), foi atingida por um desabamento, em Salvador.

Mirela Carine Conceição dos Santos, de apenas um mês, foi levada ao Hospital Geral do Estado junto com a mãe, Carla Silene da Conceição, 29, e seu marido, Wellington Teixeira Santos, 26, que sofreram escoriações. A morte de Mirela foi confirmada na manhã desta quarta-feira (22) pelo hospital.

Nesta manhã, uma mulher de 92 anos foi internada no HGE com traumatismo craniano. Ela foi atingida por galhos de uma árvore que caiu.

Chuvas fortes atingem Salvador desde sexta-feira (17). De acordo com a Defesa Civil, nesses cinco dias o índice de chuvas já atingiu 400 mm, ultrapassando a previsão para todo o mês de abril, de 326 mm. As previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam para a continuidade do tempo chuvoso na cidade até o próximo final de semana.

O prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB), decretou, nesta manhã, situação de emergência. À tarde, ele deve solicitar ao governo do Estado que reconheça a emergência na região. "O decreto só é válido se o governador do Estado reconhecer a necessidade da prefeitura", disse ele, em entrevista coletiva nesta manhã.

Decretada a situação de emergência, a prefeitura passa a ter direito de receber recursos do governo federal para obras emergenciais de reparos aos estragos da chuva. Como prioridades, o prefeito cita a contenção de 18 encostas, desobstrução de canais e atenção às áreas de maior risco na cidade. "Nós temos mais de cem encostas precisando de trabalhos de contenção, mas elegemos aquelas prioritárias", completou.

Estragos
  • As chuvas provocaram o desabamento de um casarão...

  • ...e a queda de árvores em Salvador (BA)

Mais de 18 famílias cadastradas pela Defesa Civil estão desabrigadas ou desalojadas. Segundo a assistente social da Secretaria de Serviço Social, Sarita Alves, a prefeitura vai "ajudar todos até resolver a situação". Além dos abrigos provisórios, a prefeitura disponibiliza, por três meses, um vale de R$ 100 em forma de auxílio-aluguel.

Na segunda-feira, quatro imóveis desabaram. Um deles, um casarão localizado na Cidade Baixa. Ninguém morava do prédio, mas o garoto Jeffrey Costa contou que estava nas imediações quando viu as paredes do casarão começarem a cair. "Por pouco não fui atingido, eu ia passando por perto na hora. Foi rápido, de repente caiu tudo", contou.

Comerciantes da região disseram que não houve uma tragédia em razão do feriado, quando o movimento cai na região. "Se fosse outro dia, pessoas poderiam ter morrido", disse Alberto Góes, que trabalha nas proximidades.

Na manhã de sábado, a turista carioca Lucivone Nunes, 59 anos, morreu atropelada por um ônibus que, desgovernado, subiu a calçada por onde ela passava, com uma prima. O veículo ainda derrubou a guarita de segurança do Quartel do Exército, no bairro de Amaralina. O motorista atribuiu o acidente ao excesso de água na pista, que o fez perder o controle do veículo numa curva. Passageiros confirmaram que o motorista não dirigia em alta velocidade. Ela chegava de uma missa na Igreja do Bonfim.

Todos os anos, no período entre março e julho, a Defesa Civil realiza a Operação Chuva, passando a atuar em sistema de alerta máximo. O órgão diagnostica a gravidade das situações, orienta pessoas em risco e distribui pedaços de plásticos que se estendem sobre as encostas. Diariamente, a central da Defesa Civil recebe cerca de 400 chamadas. Por causa das chuvas, essa média praticamente duplicou nos últimos dias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos