Anvisa amplia inspeção em voos por causa da gripe suína; Ministério da Saúde acompanha 20 casos

Do UOL Notícias
Em São Paulo e Brasília*

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou hoje que os voos procedentes do Reino Unido, Espanha e Nova Zelândia também serão inspecionados por uma equipe da agência e por médicos da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) para a identificação de pacientes com sintomas de gripe suína.

Até agora, apenas os voos vindos do México, Canadá e Estados Unidos estavam sendo avaliados. A decisão foi tomada durante reunião da Anvisa com representantes das companhias aéreas, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Infraero no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Na reunião, também ficou acordado que resíduos sólidos provenientes de aeronaves procedentes dos países citados serão classificados como resíduos do tipo A, ou seja, potencialmente infectantes. O descarte desses resíduos passará por procedimentos de fiscalização antes que seja definido o seu destino. Em procedimento normal, os dejetos são descartados em aterros sanitários.

Representantes da Anac e da Infraero também definiram hoje a obrigatoriedade da veiculação de informes sonoros a bordo da aeronaves vindas de áreas afetadas pela gripe. Eles irão esclarecer os passageiros quanto aos procedimentos que devem tomar na chegada ao aeroporto. A determinação será oficializada por meio do Comando da Aeronáutica e da Anac.

Anvisa diz que alerta tardio da OMS prejudicou orientação sobre a doença



20 casos
O Ministério da Saúde anunciou, às 19h30, que segue monitorando 20 pacientes que estiveram em áreas afetadas pela gripe suína e que apresentaram alguns dos sintoma da doença ou mantiveram contato com pessoas com essas características.

São 3 casos no Amazonas, 2 na Bahia, 3 em Minas Gerais, 1 no Pará, 4 no Paraná, 2 no Rio de Janeiro, 2 no Rio Grande do Norte e 3 em Santa Catarina. Dois casos inicialmente acompanhados foram descartados em São Paulo: um dos pacientes tinha sinusite e o outro não apresentava febre.

Todos esses casos foram notificados por autoridades sanitárias estaduais ao Ministério da Saúde. Nenhum deles se enquadra na categoria de "caso suspeito" definida pela Organização Mundial da Saúde.

Prevenção nos aeroportos pelo mundo

  • Jung Yeon-je/AP

    Funcionário de aeroporto de Seul (Coreia do Sul) mede temperatura de bebê que chegou ao país

É possível que outros casos estejam sendo acompanhados pelos Estados. A secretaria de Saúde do Espírito Santo, por exemplo, informou que um brasileiro de 32 anos vindo dos Estados Unidos está sob observação.

Os critérios de caso suspeito, estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e pelo Ministério da Saúde, são: febre repentina acima de 38º C e tosse, acompanhadas ou não de um ou mais dos seguintes sintomas: dificuldade respiratória, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações.

Outro fator determinante para o reconhecimento da doença é de que o paciente que apresenta os sintomas tenha visitado algum dos locais afetados pelo vírus nos últimos dez dias ou que tenha tido contato com pessoas dessas áreas.

Segundo o ministério, continuam não havendo, até o momento, evidências de circulação do subtipo causador da gripe suína no país.

O governo anunciou também que vai promover ações para melhorar o conhecimento da população sobre a gripe suína. O objetivo é fazer com que as pessoas tenham segurança sobre os procedimentos adotados pelas autoridades sanitárias brasileiras e evitem a automedicação.

A gripe suína no Brasil está sendo monitorada pelo Gabinete Permanente de Emergências do Ministério da Saúde e a situação da doença é acompanhada 24 horas por dia pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

As ações incluem o treinamento da equipe de atendimento do Disque Saúde (0800 61 1997), inserções em oito emissoras de TV, nas duas principais rádios de cada capital e em duas redes nacionais e comunicados nos dois jornais de maior circulação de cada Estado.

Um hotsite sobre a doença foi disponibilizado no portal www.saude.gov.br.

"Pandemia branda"
A Organização Mundial de Saúde afirmou nesta terça-feira (28) que o recente surto de gripe suína pode levar a uma pandemia branda, mas alertou que a pandemia de 1918, causada com a gripe espanhola, que deixou dezenas de milhões de mortos, começou da mesma forma.

Em todo o mundo, foram confirmadas 114 pessoas, em oito países, com a doença: México (26), Estados Unidos (65), Canadá (13), Nova Zelândia (3), Espanha (2), Reino Unido (2), Israel (2) e Costa Rica (1).





* Com informações da Agência Brasil, Agência Estado, Folha Online e das agências internacionais

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos