Relatório aponta 60 assassinatos de indígenas no país em 2008

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

O Cimi (Conselho Indigenista Missionário) divulgou nesta segunda-feira (4) números do relatório "Violência Contra os Povos Indígenas do Brasil". De acordo com a Organização Não Governamental, ocorreram 60 assassinatos de indígenas em todo o país, no ano passado. Em comparação com 2007, houve uma diminuição de 32 casos.

Índios rejeitam projetos
fora do novo Estatuto

  • Fernando Bizerra Jr./EFE

    Indígenas de várias etnias se encontram até sexta-feira em Brasília na 6ª edição do Acampamento Terra Livre



No entanto, a ONG contabilizou 34 suicídios em 2008, seis a mais do que no ano anterior. Todos eles do povo Guarani Kaiowá, do Mato Grosso do Sul.

"Esses casos de suicídio geralmente decorrem da não demarcação de terras indígenas, que leva ao confinamento e à desestruturação dos povos", afirmou Saulo Feitosa, representante da organização, que é vinculada à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil).

Para ele, a situação não aponta sinais de mudança "porque há uma pressão muito grande do agronegócio e, por isso, o governo acaba atrasando a demarcação".

Em relação aos assassinatos, o foco de violência, ainda segundo o relatório, continua sendo os Guarani Kaiowá. Em 2008, foram registrados 42 assassinatos de pessoas desse povo, ou 70% do total.

Em 2007, dos 92 assassinatos registrados, 53 foram de Guarani Kaiowá (58% do total). Para os organizadores da pesquisa, a maioria dos casos ocorreu no contexto de brigas, muitas delas entre familiares, o que também seria resultado da desestruturação dos povos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos