Rio oficializa candidatura a Patrimônio da Humanidade

Thais Leitão
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

A candidatura do Rio de Janeiro a Patrimônio da Humanidade na categoria paisagem cultural, título conferido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), foi formalizada na manhã de hoje (4). Durante o evento, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes assinaram um termo de cooperação para viabilizar a campanha. Se conquistar o título, a capital fluminense será a primeira cidade em todo o mundo a ser enquadrada nessa categoria.

O presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luis Fernando Almeida, explicou que o selo de reconhecimento é atribuído a porções dos territórios onde a relação entre a cultura humana e o ambiente natural conferem à cidade uma identidade particular. Ele ressaltou que entre os destaques do espaço urbano carioca estão as florestas tropicais e parques, suas praias, além de manifestações populares como o Carnaval, o samba e a bossa nova, que juntos constroem o mosaico da paisagem cultural do Rio.

"Nada representa mais o estágio civilizatório do Brasil, a nossa genialidade, os nossos desafios, as contradições e a singularidade cultural do que a cidade do Rio. A paisagem construída, transformada é um exemplo único, um monumento à qualidade de vida, ao senso estético e ao prazer de viver na cidade. Não existe nenhuma cidade patrimônio enquadrada na categoria paisagem cultural, também não existe nenhuma cidade no mundo igual ao Rio de Janeiro", defendeu Almeida.

O ministro da Cultura destacou algumas possíveis consequências que o título pode trazer, como a elevação da auto-estima dos cariocas e a recuperação da paisagem e da cultura na cidade. Juca Ferreira defendeu que a candidatura tenha um caráter nacional.

"O Rio é tido, no mundo inteiro, como referência de uma cidade idílica apesar de todos os seus problemas. A sua candidatura representa um gesto de generosidade porque, com o reconhecimento, ela passa a ser parte da humanidade, podendo ser apropriada por todos e trará efeitos práticos em todos os sentidos. Por isso, a candidatura tem que ser encarada como brasileira", afirmou.

O governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes também apresentaram discursos otimistas. De acordo com Paes, a cidade contará com maior compromisso dos governos para preservação e proteção de seu patrimônio.

"É uma oportunidade fantástica, já que a cidade vai ter mais projeção internacional. O título também vai obrigar uma ação integrada de preservação entre as três esferas de governo, independentemente de quem são os governantes", disse.

O movimento pela candidatura do Rio é liderado por organizações como Ordem dos Advogados do Brasil, Associação dos Empreendedores Amigos da Unesco, Associação Comercial do Rio de Janeiro, Associação Brasileira de Imprensa, Academia Brasileira de Letras, Comitê Olímpico Brasileiro e Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, entre outras.

Até o final deste ano, será encaminhado à Unesco um dossiê técnico justificando a proposta de inscrição da cidade. O documento está sendo preparado por técnicos dos governos federal, estadual e municipal com a assessoria de especialistas contratados. O resultado só será conhecido em agosto de 2010.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos