MG anuncia hospitais que servirão para atendimentos a casos suspeitos de gripe suína

Rayder Bragon
Especial para o UOL Notícias
Em Belo Horizonte

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais divulgou nesta terça-feira (5), em Belo Horizonte, os nomes de hospitais na capital e no interior do Estado que poderão receber pacientes com suspeita de gripe suína para serem monitorados.

As unidades hospitalares estão situadas em 13 cidades consideradas pela secretaria como macrorregiões (abrangem mais de uma cidade). A capital mineira, que já tinha as unidades divulgadas, e mais doze municípios do interior foram listados (veja quadro abaixo com os nomes dos hospitais).


Na avaliação da secretaria, os hospitais do interior e as equipes médicas, caso seja necessário, serão capazes de responder a um cenário de disseminação de casos suspeitos da doença no Estado. No entanto, até o momento, somente o Hospital das Clínicas da UFMG, em Belo Horizonte, por possuir seis leitos especiais com isolamento respiratório para cada paciente, é o único reconhecido como referência em Minas pelo Ministério da Saúde.

Não foi informado o número de leitos que serão colocados à disposição dos pacientes no interior do Estado. Segundo a secretaria, à medida que forem necessários, os leitos serão ativados.

"Para cada um dessas macrorregiões, foi identificado um hospital que será a unidade de retaguarda, nesse momento. Na realidade, como nós estamos com a maioria dos pacientes suspeitos em Belo Horizonte, nessas regiões (interior do Estado), caso seja necessário, nós vamos estabelecer a quantidade de leitos", disse a subsecretária de Políticas e Ações de Saúde do Estado, Helidéa de Oliveira Lima.

A divulgação ocorreu durante lançamento de cartilha intitulada "Plano Estadual de Enfrentamento da ameaça da Influenza A(H1N1)".

"É importante que não haja bola dividida em caso de vivenciarmos um gerenciamento de crise. Nós vamos instruir todas as unidades hospitalares para que, em cada região de Minas Gerais, providências sejam tomadas e esse enfrentamento da doença, se necessário, seja exitoso", disse o secretário de Saúde de Minas Gerais, Marcus Pestana.

O documento, dividido em 94 páginas, contém informações para orientar as secretarias municipais de Saúde em relação à doença e será distribuído para cerca de 3.000 postos de saúde no Estado.

O plano traz orientações sobre a gripe suína aos profissionais de saúde, além de ensinar como constatar casos suspeitos e o manejo correto de utensílio e vestimentas utilizadas pela equipe médica, entre outras informações. "O plano irá evitar dúvidas em relação aos métodos a serem seguidos", explicou Pestana.

Call Center e telemarketing
Atualmente, segundo a secretaria Estadual de Saúde, existem no Estado 4 casos suspeitos da doença, além de 2 que estão sendo monitorados.

Na capital, os hospitais Eduardo de Menezes (34 leitos), Risoleta Neves (10 leitos) e o Hospital das Clínicas da UFMG (6 leitos especiais, com isolamento respiratório, e mais 18 em enfermaria) foram indicados como locais para atendimento de pacientes com suspeição da doença.

Desde o dia 30 de abril, passageiros que chegaram de países considerados como áreas de risco para a doença, e desembarcaram no Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins), estão sendo monitorados por 10 dias por meio de serviço de telemarketing. A central telefônica criada pela secretaria de Saúde do Estado possui lista de passageiros fornecida pela Infraero (Empresa Brasileira de infraestrutura aeroportuária).

A secretaria colocou à disposição o número 0800-283-2255 para quem quiser obter orientação sobre a doença.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos