Brasil tem 54 hospitais de referência para atender casos de gripe suína

Do UOL Notícias* Em São Paulo

Lula: Gripe suína não vai afetar economia


O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira (8) que o Brasil dispõe de 54 hospitais de referência para atender eventuais novos casos de gripe suína - Influenza A (H1N1) (confira a lista de instituições). Há ainda medicamentos prontos para tratar 12,5 mil pessoas e 9 milhões de doses em pó para futura fabricação.

O Ministério da Saúde confirmou ontem (7) os quatro primeiros casos confirmados da enfermidade no País. As quatro vítimas são brasileiras, e as contaminações foram confirmadas por três laboratórios. Duas vítimas são de São Paulo, uma do Rio de Janeiro e outra de Minas Gerais. Os quatro são adultos e apresentam quadro clínico estável.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, reafirmou em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo, que apesar dos quatro casos detectados no Brasil, a situação está sob controle porque o vírus da Influenza A (H1N1) não circulou. "É claro que nós estamos preocupados, porque os cientistas não sabem o que vai acontecer com essa doença, porque é um vírus novo. Ninguém sabe, numa segunda onda, o que pode acontecer. Detectamos que o vírus entrou, mas não circulou. A orientação é redobrar a vigilância, manter a mesma estrutura, a mesma estratégia", disse.

O ministro recomendou que apenas as pessoas que estiveram em área de risco de contaminação do vírus e que apresentaram sintomas devem procurar um médico imediatamente.

"As pessoas que estiveram em país com casos confirmados e a partir da chegada, dentro de dez dias, apresentaram febre súbita acima de 38 graus, tosse, dor muscular, dor articular e dificuldade respiratória, devem procurar o serviço de saúde, ou pessoas que não viajaram mas entraram em contato com pessoas que vieram de área de risco e apresentaram esses sintomas também devem relatar ao seu médico para impedir que o vírus circule", disse o ministro.

Temporão lembrou também a recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) para adiar viagens a áreas de risco até que a situação se normalize e desaconselhou o uso de máscaras como forma de prevenção à doença.

Em entrevista coletiva em Brasília, o presidente Lula afirmou nesta manhã que a gripe suína não irá influenciar na economia brasileira. Ao lado do presidente paraguaio Fernando Lugo, Lula disse que o Brasil continuará vigilante para combater novos casos da gripe.

No Rio de Janeiro, os governos do Estado e do município anunciaram na manhã desta sexta-feira a criação de um grupo multidisciplinar para combater a disseminação da nova gripe A (H1N1), conhecida como gripe suína. A equipe é composta por 50 pessoas, em sua maioria técnicos, e ficará encarregada de ações civis e comunitárias, vigilância epidemiológica e assistência laboratorial, entre outras funções.

Os casos
Segundo José Gomes Temporão, o paciente de São Paulo que teve a contaminação pelo vírus da gripe confirmada esteve no México entre 17 e 22 de abril e começou a ter os sintomas no dia 24. Ficou internado até o dia 4 de maio e passa bem. Outro paciente, de Minas Gerais, começou a apresentar sintomas já no México e permaneceu isolado até o dia 6 de maio.

Outro dos casos, que está em São Paulo, esteve na Flórida e chegou ao Brasil no dia 28 de abril. Não chegou a ser internado, mas foi mantido em isolamento familiar.

Já o outro paciente, um jovem de 21 anos que está internado no Rio de Janeiro, chegou de Cancún com escala na Cidade do México no último sábado (3). Ele será mantido em um centro de isolamento no Hospital Universitario Clementino Fraga Filho, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), onde ninguém terá contato com ele, exceto os médicos, pelo prazo máximo de dez dias, que é o período de duração do ciclo do vírus.

Pais e parentes serão monitorados para ver se apresentam sintomas da doença. Dois amigos que viajaram com o paciente foram examinados e liberados, mas permanecerão sob monitoramento.

Segundo o ministro, todos os pacientes passam bem e não correm risco de morte. Apenas o caso do Rio teria condições de transmitir o vírus a outras pessoas.

O >governador de São Paulo, José Serra, afirmou na noite de ontem que "os dois pacientes de São Paulo já estão curados" e as pessoas que tiveram contato próximo com eles foram examinados e já tiveram a gripe descartada.

Novos casos esperados
Para especialistas, a vigilância epidemiológica agora deve ficar em alerta para eventuais sinais de transmissão do vírus dentro do país. De acordo com o gerente da Área de Vigilância em Saúde e Gestão de Doenças da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, os principais sinais a observar são registros de conglomerados de pessoas com sintomas da doença e que não saíram do Brasil, principalmente entre jovens - faixa etária mais atingida pela nova doença.

Para o infectologista David Uip, diretor do Hospital Emílio Ribas, unidade onde os infectados de São Paulo foram tratados, a chegada do vírus no Brasil já era esperada e que novos casos serão confirmados nos próximos dias.

"Mas não dá para saber se o vírus se espalhará pelo Brasil", afirmou.

*Com informações da Agência Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos