Chuvas causam problema de abastecimento no Maranhão

Silvana Salles Do UOL Notícias Em São Paulo

As chuvas no Maranhão já causam problemas de abastecimento no Estado, afirma o presidente da Associação Maranhense de Supermercados, Silvio Muniz. Segundo ele, alimentos chegam com dificuldade à capital São Luís devido às interdições nas principais estradas maranhenses.

Chuvas diminuem no Norte e Nordeste



"A situação está ficando crítica. Nós estamos completamente ilhados aqui [em São Luís]. O Maranhão está praticamente isolado da federação", afirmou Muniz. "Já falta açúcar e alguns itens de hortifrúti".

Muniz calcula que os atuais estoques dos mercados maranhenses consigam atender a demanda até, no máximo, uma semana, caso a situação das estradas não seja normalizada. "Ainda não tivemos grandes problemas de abastecimento porque, como estamos num Estado isolado, todas as empresas trabalham com estoque além do necessário, acima da necessidade de vendas para uma semana", disse.

Na manhã desta sexta-feira (8), o tráfego nas principais rodovias do Maranhão foi parcialmente liberado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os veículos passam um de cada vez pelos pontos que estavam interditados até a última madrugada na BR-222, na BR-135, na BR-316 e na Belém-Brasília.

Na BR-316, onde a chuva derrubou uma ponte no km 411, entre Alto Alegre e Peritoró, o trânsito flui por um desvio desde as 5h de hoje, de acordo com informação do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Medo nas feiras de São Luís

"O desperdício está muito alto. Estamos trabalhando com 70% de perdas enquanto a média normal é de, no máximo, 10%", afirmou um feirante de São Luís à Agência Brasil. Comerciantes e consumidores temem que verduras e legumes comecem a faltar na cidade a partir da próxima segunda-feira (11) se a situação das estradas não for normalizada.




Enquanto os caminhões não voltam a percorrer as rodovias maranhenses normalmente, os preços de gêneros alimentícios sobem. "Alguns produtos, como o tomate, o quiabo e o maxixe já dobraram o preço", conta Silvio Muniz.

Segundo a Defesa Civil estadual, as chuvas no Maranhão afetavam nesta manhã 67 municípios, sendo que 61 deles estavam em situação de emergência. As enchentes deixavam ainda 33.034 desalojados, 24.934 desabrigados e 167.883 afetados. De acordo com o major Abner Ferreira, a situação das inundações no Estado foi estabilizada e a tendência é que os números de afetados diminuam.

Ainda segundo o major, os municípios mais prejudicados continuam sendo Trizidela do Vale, Bacabal, Pedreiras e São Luiz Gonzaga, todos banhados pelo rio Mearim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos