Chuva castiga Salvador, e 30 casas são destruídas em uma única rua

Heliana Frazão
Especial para o UOL Notícias
De Salvador

A capital baiana completa nesta sábado (9) uma semana de chuvas quase ininterruptas e de forte intensidade, contabilizando números dramáticos. São sete mortes, mais de 300 famílias desabrigadas, muitos prejuízos por toda a cidade, como malha viária esburacada, postes e árvores caídas e muitos desabamentos. Somente da noite de sexta-feira (8) até o final desta manhã, cerca de 40 imóveis foram destruídos, mais de 30 apenas em uma única rua, ironicamente denominada Rua de Deus, no bairro de Paripe, subúrbio da capital, onde o quadro é desolador.

Desde as primeiras horas do dia a chuva não dá trégua. A previsão é de que o tempo permaneça chuvoso por todo o final de semana, prejudicando inclusive as vendas para o Dia das Mães. Em uma semana já choveu em Salvador 248,8 mm. O esperado para todo o mês de maio são 349,5 mm.

Conforme a Defesa Civil, outras 20 residências estão condenadas na Rua de Deus. As famílias estão sendo retiradas e encaminhadas a casas de parentes, amigos e abrigos improvisados pela prefeitura. As perdas nesses imóveis são totais, mas não há informações sobre perdas humanas.

De acordo com técnicos da Defesa Civil, uma faixa de aproximadamente 500 metros de extensão por 1,2 mil de largura desmoronou completamente, causando os desabamento de casas e postes, entre outros danos, em Paripe. Já foi determinada a interdição do local para evitar danos de maiores proporções.

Para o subsecretário da Defesa Civil, Osny Santos, o desastre, provocado pela ação da chuva sobre solo massapê, está entre os mais graves registrados nos últimos anos em Salvador. As redes de água e esgoto estão estouradas e houve também afundamento da pista.

Outros bairros atingidos com o desmoronamento de imóveis são Sete Portas, Sete de Abril, Cosme de Farias e Plataforma, todos habitados por uma população pobre.

Por toda a cidade, os alagamentos deixam o trânsito lento. A economista Glória Varjão que saiu pra visitar um imóvel para alugar, disse ter passado mais de duas horas no trânsito sem conseguir chegar ao local. "Acabei desistindo, está impossível trafegar", atestou.

Em toda a Bahia subiu para nove o número de municípios em situação de emergência por causa da chuva. A Salvador, Lauro de Freitas, Simões Filho, Mascote, Camacan, Vera Cruz e Guaratinga juntaram-se, na tarde de sexta-feira (8), às cidades de Candeias e Casa Nova.

Prefeito apela por ajuda

Nesta manhã, ao falar com a imprensa, o prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB), apelou a engenheiros residentes na cidade que queiram atuar como voluntários nas vistorias em áreas de urgência da cidade. Segundo João, elas somam mais de mil. O prefeito admitiu que o número de profissionais da Defesa Civil é insuficiente para fiscalizar a ocupação de todas as áreas impróprias para habitação.

"Mesmo com todo efetivo de 50 profissionais mobilizados não estamos dando conta do número de chamadas", disse João Henrique.

O prefeito informou também que o ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima (PMDB) —seu padrinho político—, já se comprometeu com a liberação de R$ 30 milhões para a recuperação da cidade.

"Não esperávamos tanta chuva em tempo tão curto, como tem caído sobre Salvador, aliás em todo o Norte e Nordeste do Brasil", completou o prefeito.

Até às 15 horas de hoje, a Defesa Civil, já tinha recebido cerca de 215 solicitações, o maior número delas, 120, diziam respeito a deslizamentos de terra. Salvador é uma cidade de topografia bastante irregular, propensa aos deslizamentos de terra. Números apresentados pelo prefeito mostram que 1.900 locais requerem obras de contenção de encosta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos