'Playboys' e patricinhas da classe AAA já têm um Orkut pra chamar de seu

Rodrigo BertolottoDo UOL NotíciasEm São Paulo

A identificação publicitária classifica o grupo de "nicho premium de mercado", "classe AAA", "público seleto", "clube restrito", pessoas diferenciadas que gostam de celebrar sua individualidade, gente bem-sucedida que festeja a vida com estilo. Para os de fora, são os endinheirados, elite, "playboys", "patricinhas", janotas e, como se dizia antigamente, grã-finos.
 



Neste pequeno mundo, a internet pode ser um problema: se dá para tolerar e até rir dos novos ricos, os falsos-ricos das redes de relacionamento podem ser um tormento. Podiam, na verdade, porque agora há um endereço vip na web para se relacionar exclusivamente com quem tem e gasta muito dinheiro.

A lista inicial foi montada por uma promoter de festas de ricos e famosos, a mesma que escolhia quem entrava e quem era barrado na boate Pink Elephant para a festa de inauguração da versão brasileira do site, na noite de terça para quarta-feira (13). A partir daí, só embarca na página glamorosa quem for convidado. E cada integrante só pode chamar mais cinco para a turma.
 

Se alguém der mancada, for invasivo ou assediar um usuário, a falha fica exposta em toda a cadeia de relações. Expulsões só se decididas pela cúpula holandesa do empreendimento. Então, não adianta digitar www.elysiants.com, porque você não sairá da tela inicial.

Ruud Smeets, com passagem pela sede europeia do Google, é o executivo do site Elysiants, nome em referência ao Elísio, a morada dos heróis e pessoas virtuosas após a morte na cultura greco-romana. A ideia é montar um concorrente forte para o A Small World, classificado como o "high-society da net", que domina os afortunados europeus e norte-americanos e expulsa quem não segue seu "manual de boas maneiras".
 

  • Flávio Florido/UOL

    Para o clima praia, as garçonetes da boate Pink Elephant usaram sarongue e chapéu de praia

"Eles são tediosos, sisudos. O nosso site quer juntar gente mais descontraída. Por isso, escolhemos cidades em que as pessoas querem viver a vida intensamente", define Smeets. "Começamos antes da crise econômica, mas ela não vai abalar nossos planos." São Paulo é a quinta da lista após Curaçao, Hong Kong, Dubai e Beirute. Os planos englobam localidades como Miami, Abu Dhabi, Istambul, Punta Del Este e Xangai. A ideia é entrar em cidades emergentes e de glamour que não tenham sido dominadas pelo rival de mercado.

A festa de lançamento cobriu de areia a pista de dança, plantou coqueiros, vestiu as garçonetes com sarongue e encheu de sereias os telões para reproduzir um clima praieiro na boate-franquia-internacional.

As celebridades, contudo, vieram em conta-gotas: o ex-nadador boêmio Fernando Scherer, as socialites Ana Paula Junqueira e Marcela Tranchesi (filha da dona da Daslu) e Camila Camargo, irmã da cantora pop.

No público masculino, fazia-se uma divisão etária pela vestimenta: jovens com camiseta de pólo equestre, veteranos portando blazer com brasão. Já as mulheres ajeitavam seus tomara-que-caia adornando os silicones.

O ambiente rococó encontrava sua síntese no fone de ouvido cravejado de pedras da DJ residente. Ao som do tema de "Super-Homem", o desfile de garrafas de champanhe com canhão de faísca virava o centro das atenções quando um habitué pedia um exemplar borbulhante por R$ 2.800 e virava sócio Premium do site, com seus nomes estampados nos telões.
 

  • Leonardo Wen/Folha Imagem

    Os holandeses Ronald de la Fuente e Arthur de Groot são sócios do site de relacionamento

Aos microfones, os festeiros se mostravam animados com o clube virtual. Um deles diz: "É mais interessante se relacionar com seu círculo social, sem aproveitadores e perfis falsos por todo lado." Uma modelo vislumbra o potencial: "Posso me ligar ao pessoal da moda, conseguir mais desfiles."

"O que conta não é quanto dinheiro você ganha, mas como aproveita esse sucesso. Sei que há um problema social no Brasil, mas nem eu nem você vamos resolver isso. Como uma empresa, estimulamos a caridade e a consciência social de nossos usuários. Mas este é um grupo fechado, que quer continuar fechado. Os pobres podem formar suas redes de relacionamento para lutar por seus direitos", argumenta Smeets, ao ser questionado sobre o caráter democrático da internet.

Sobre as celebridades nacionais, o holandês diz não ter ambição de fazer um rol delas em seu site. Nem mesmo o corintiano Ronaldo, frequentador da boate. "Para ele entrar, tem que ser convidado como os outros. Mas nosso alvo não é só celebridade. Como ele gosta de viver a vida intensamente, faz parte de nosso público alvo."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos