Polícia prende Batman, ex-PM acusado de chefiar milícias no Rio

Da Agência JB
No Rio de Janeiro

Com ajuda de um helicóptero, agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil prenderam na quarta-feira (13) à noite Ricardo da Cruz Teixeira, o Batman. O ex-policial militar é acusado de chefiar uma quadrilha de milicianos que atua na zona oeste do Rio de Janeiro, autodenominada "Liga da Justiça". Ele foi preso na casa de parentes, em Paciência, na zona oeste.

Batman foi preso durante a Operação Suporte, da Polícia Civil, da qual participaram cerca de 20 policiais. Com a ajuda de um helicóptero e de três carros descaracterizados, os agentes cercaram a casa onde estava o foragido, na Avenida João Moroni Barroso. Em seguida, uma mulher saiu de mãos levantadas e disse que ele iria se entregar. Não houve tiroteio.

Ainda quarta-feira à noite, ele foi conduzido à Chefia de Polícia, no Centro do Rio. Batman havia sido declarado inimigo número 1 das autoridades de segurança.

Fuga pela porta da frente

Em outubro de 2008, Batman fugiu do presídio de segurança máxima de Bangu 8 pela porta da frente, acompanhado de dois indivíduos vestidos de preto. Ex-policial militar, foi expulso da PM em 1992, quando fazia parte do Batalhão de Choque.

A milícia, da qual é acusado de chefiar em Campo Grande, exploraria serviços clandestinos de segurança, transporte alternativo, distribuição de gás e venda de sinal de TV a cabo.

A Central Disque-Denúncia, que ofereceu recompensa de R$ 10 mil por informações que levassem à sua captura, recebeu mais de 230 denúncias de que Batman e seu companheiro, Aldemar Almeida dos Santos, o Robin, morto em abril de 2005 durante um confronto com a polícia, fariam parte de um grupo de extermínio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos