Japão conta 44 infectados pela gripe suína; doença chegou a 39 países, diz OMS

Do UOL Notícias Em São Paulo*

Atualizada às 15h41

O ministério da saúde japonês anunciou neste domingo mais 32 casos de pessoas infectadas com o vírus da gripe suína, elevando o total a 44 no país. Na Brasil, houve redução no número de casos suspeitos, de 25 para 22. Os casos confirmados se mantiveram em 8.

Mas os números da gripe no Japão podem crescer, com a confirmação de novos casos pelo governo central japonês em breve. Na tarde deste domingo, funcionários de Hyogo, município que inclui Kobo, disseram à agência de notícias AFP que há 53 casos confirmados. Além disso, a prefeitura de Osaka comunicou 36 pessoas com gripe suína. Com as quatro pessoas que contraíram a doença no exterior, o número de casos confirmados no país chegaria a 93.

Dos 32 casos japoneses confirmados hoje, 29 são de estudantes de Osaka ou da cidade de Kobe, em Hyogo. Sábado, oito estudantes de Kobe também deram positivo nos testes do vírus A(H1N1), os primeiros casos de transmissão local da doença no Japão.

Os três outros casos são um estudante, um professor de 40 anos e uma mulher de 50.

"O número de casos de infecção local subiu para 40", disse um funcionário do ministério da Saúde. No início do mês, o Japão descobriu seus quatro primeiros casos de gripe suína no aeroporto de Narita.

China
O Ministério da Saúde chinês confirmou hoje o primeiro caso de gripe suína na cidade de Pequim e o quinto no país, de uma jovem chinesa que retornou de seus estudos em uma universidade de Nova York (EUA).

A jovem, de 18 anos e de sobrenome Liu, chegou à capital chinesa em 11 de maio e começou a sentir sintomas de gripe no dia seguinte, por isso foi indicada como suspeita e internada em um hospital de Pequim.

Em todo o mundo, o novo vírus da gripe A (H1N1) infectou 8.480 pessoas em 39 países, entre quais 72 morreram, segundo o balanço mais recente da OMS (Organização Mundial da Saúde) publicado neste domingo em seu site.

Todas as pessoas que tiveram contato direto com a paciente estão sendo procuradas e colocadas sob observação médica, mas nenhuma mostrou sintomas, destacaram as autoridades sanitárias, citadas pela agência oficial "Xinhua".

Além disso, a estudante, consciente da possibilidade de ter contraído a gripe suína, quase não saiu de casa, não viu nenhum de seus amigos e aparentemente só teve contato próximo com a mãe e o taxista que a levou de casa ao hospital.

O caso de Liu se junta aos de outros dois estudantes chineses na América do Norte que retornaram à China em dias anteriores, nas províncias de Sichuan e Shandong, e outros dois em Hong Kong, entre eles um cidadão mexicano que viajou para esse território.

Nas últimas horas, as autoridades chinesas suspenderam a quarentena de 282 pessoas que tiveram contato direto com algum paciente, na maioria nas cidades de Chengdu (capital de Sichuan) e Pequim.

Por enquanto, Pequim não tomou medidas especiais após a confirmação do primeiro caso na cidade, que há seis anos ficou paralisada e em pânico devido à epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars).

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados.

* Com informações da AFP, EFE e Folha Online

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos