Greve deixa sem vigilantes prédios públicos em Brasília

Daniel Lima
Da Agência Brasil
Em Brasília

O prédio do Ministério da Fazenda amanheceu praticamente sem segurança nesta terça-feira (26), devido à greve da categoria deflagrada às 21h de ontem. De aproximadamente 60 vigilantes que fazem a proteção do prédio central, apenas quatro permanecem trabalhando.

Dos três seguranças designados para a portaria do ministro Guido Mantega, apenas um permanecia de plantão até as 9h em dupla com um ascensorista. O Ministério da Fazenda informou que 30 agentes de segurança, funcionários do quadro foram destacados para pontos críticos da administração.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes, Vicente Lourenço de Oliveira, o movimento atinge todo o Distrito Federal e não só o governo federal, mas também o local, como a vigilância bancária e os hospitais.

Oliveira informa que são 15 mil trabalhadores e que 80% da categoria já cruzou os braços. Os trabalhadores querem 15% de reajuste salarial e o aumento do vale refeição de R$ 9,50 para R$ 15. As outras cláusulas reivindicadas pela categoria já foram atendidas.

A Polícia Militar do Distrito Federal foi alertada sobre a situação precária da segurança nos prédios federais e reforçou o efetivo na região, segundo informaram alguns agentes próximo ao prédio central do Ministério da Fazenda.

O major Robson Rodrigues, responsável pelo policiamento central na capital federal, no entanto, disse que o reforço na Esplanada dos Ministérios é apenas para manter a segurança durante a manifestação do Movimento Grito da Terra Brasil. Por questões de segurança, ele não pode informar quantos policias foram convocados para a operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos