Quatro pessoas morrem após rompimento de barragem no Piauí

Do UOL Notícias
Em São Paulo


Atualizada às 18h04

A Polícia Militar confirmou a morte de quatro pessoas na área atingida pelo rompimento da Barragem Algodões 1, na zona rural do município de Cocal, região Norte do Piauí, provocado pelas chuvas que atingem o Estado.

As vítimas são um senhor na faixa dos 60 anos, uma adolescente de 14 anos e uma senhora com a idade não divulgada. Os três são de famílias diferentes. Os corpos são velados na comunidade Boiba, próxima ao município de Buriti dos Lopes.

Mais cedo, havia sido confirmada a morte da menina Francisca Maria Pereira, 12. O corpo é velado em Cocal. Ela morava às margens do rio Pirangi.

Você enfrentou o caos das chuvas no Piauí?



Hoje, ao menos 500 famílias - cerca de 2.500 pessoas - tiveram suas casas destruídas pelas águas. A cidade está sem energia elétrica desde as 20h de ontem. Uma área de 50 km² do município está completamente alagada. Dois adolescentes estão desaparecidos, segundo a Defesa Civil do Estado. Após sobrevoar a área, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), disse que "foi um verdadeiro tsunami".

O diretor da Defesa Civil estadual, Jorgenei de Alves, negou a informação de que mais de cem pessoas estariam desaparecidas por conta da inundação. Jorgenei afirmou que, às 18h, o Corpo de Bombeiros divulgará uma balanço oficial sobre o desastre.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do governo, o rompimento da barragem aconteceu às 16h desta quarta, provocada pelas fortes chuvas que atingiram o Ceará, onde fica a cabeceira do rio Pirangi. A barragem foi construída no leito do rio, com capacidade para armazenar 52 milhões de metros cúbicos de água.

A Companhia Energética do Piauí (Cepisa) cortou a energia para evitar acidentes, já que vários postes de luz foram carregados pelas águas. Neste momento, um gerador mantém o abastecimento de água.

Famílias de Cocal e Buriti dos Lopes foram orientadas por órgãos estaduais e municipais na última sexta-feira (22) a deixarem os abrigos públicos e voltarem para suas casas, após o engenheiro responsável pela construção da obra e técnicos da Empresa de Gestão de Recursos do Piauí (Emgerpi) garantirem que não havia mais risco de rompimento da barragem.

Acompanhado do secretário estadual de Defesa Civil e deputado estadual, Fernando Monteiro (DEM), do coronel da Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, e de técnicos do Estado, o governador afirmou que "nada faltará para as famílias (atingidas), e o que elas precisarem, terão".

ONDE FICA O LOCAL ATINGIDO NO PIAUÍ

  • A - Rio Pirangi/ B - Buriti dos Lopes


Mais de 100 militares, entre bombeiros e policiais de Teresina e de Parnaíba, estão no local com lanchas e cinco helicópteros para resgatar as vítimas. Aproximadamente 40 toneladas de alimentos e 50 mil medicamentos foram enviados pelo governo do Estado aos atingidos pela inundação em Cocal.

Durante toda a noite, pessoas em áreas de risco foram resgatadas, segundo a administração estadual. A BR-343, com destino ao litoral do Estado, não sofreu danos. As cidades de Parnaíba, Luís Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande não foram afetadas pelo rompimento.

Por determinação do governador Wellington Dias, os helicópteros que estão em Cocal continuarão nos próximos dias nas buscas a pessoas que ainda possam necessitar de socorro. Ambulâncias do Sistema Único de Saúde (SUS) estão a postos ao longo do rio e os prontos socorros de Parnaíba, Piripiri e de Teresina estão preparados para atender às vítimas das águas, caso necessário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos