Pedágio no corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto fica 40,7% mais barato

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Uma viagem de ida e volta entre São Paulo e Taubaté ficará 40,74% mais barata a partir da meia-noite de 18 de junho. O comunicado foi feito pela Ecopistas, nova concessionária dos trechos das rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto.

O custo da viagem entre São Paulo e Taubaté atualmente é de R$ 27, cobrados em quadro praças de pedágio, e cairá para R$ 16, segundo a concessionária que, no entanto, passará a receber dos motociclistas metade do valor gasto pelos donos de veículos de passeio.


A maior diferença para o bolso do consumidor será na rodovia Ayrton Senna. Na praça de pedágio de Guararema, a oeste da capital paulista, a cobrança cairá de R$ 8,60 para R$ 4,20. Em Itaquaquecetuba, na parte leste da região metropolitana de São Paulo, a redução será menor, para R$ 4,40, informou o governo paulista.

Na rodovia Carvalho Pinto, as mudanças serão mais modestas. O pedágio de São José dos Campos, a leste de São Paulo, cobrará R$ 4,20 em vez dos atuais R$ 4,90. Já o trecho de Caçapava, a oeste, reduzirá de R$ 4,90 para R$ 3,20.

A Ecopistas informou que investirá em melhorias cujo valor é de R$ 900 milhões até o final da concessão, que durará 30 anos.

"Nos primeiros cinco anos, cerca de R$ 500 milhões serão utilizados na construção de 11 quilômetros de pistas marginais na Rodovia Ayrton Senna; no prolongamento da Rodovia Carvalho Pinto em 6,8 quilômetros de extensão até Taubaté; e em melhorias nas rodovias e serviços prestados. Todo o pavimento da rodovia também será recuperado", afirmou a empresa em nota.

O contrato assinado hoje com o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo, exige pagamento de R$ 594 milhões de outorga - cobrança feita pelo governo para ser revertida em investimentos em outras estradas. Desse total, R$ 118 milhões, ou 20% da quantia, já foram pagos e o restante virá em 18 parcelas.

Depois de concluídas as obras, a concessão abrangerá 141,7 km de rodovia, mais que os 134,9 km atuais, diz a Ecopistas, que também vai se responsabilizar pela ampliação de parte da marginal do Tietê, na capital paulista, em 1.750 metros no sentido interior e 2.500 metros no sentido São Paulo.

O corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto é um importante acesso ao porto de São Sebastião, cuja ampliação é estudada, à região turística de Campos do Jordão e às praias do litoral Norte paulista. Por essas rodovias passarão os trechos Leste e Sul do Rodoanel, além da rodovia dos Imigrantes, que leva à Baixada Santista.

A EcoRodovias, dona da Ecopistas, administra e opera rodovias e terminais logísticos nos Estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Com a assinatura do contrato da Ayrton Senna/Carvalho Pinto, a empresa afirma que passará a administrar 1.459,3 quilômetros de rodovias, com tráfego total de 75 milhões de veículos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos