Greve do INSS é parcial em São Paulo

Da Agência Brasil*

A maioria dos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que precisou de atendimento hoje (18) pela manhã , no Estado de São Paulo, não enfrentou problemas em razão da greve dos servidores, que entrou nesta quinta-feira no terceiro dia em todo o país. É o que informa a representação regional do Ministério da Previdência Social.

Segundo o ministério, das 280 agências do Estado, apenas uma amanheceu fechada, a de Vila Prudente, na zona leste da capital, que reabriu, parcialmente, as portas, no final da manhã. Outros 25 postos de atendimento funcionam de forma parcial, sendo 14 na capital. Das 132 agências do interior, apenas 12 não têm atendimento pleno.

A recomendação do ministério para os segurados que tiverem dificuldades é a de remarcar o atendimento na própria agência ou por meio da central que pode ser acessada por telefone, no número 135.

Na Grande São Paulo, onde existem 48 agências, 14 delas mantém atendimento parcial: Vila Prudente; Glicério Brigadeiro; Ipiranga; Santa Marina (Lapa); Santana (Braz Leme); Tucuruvi; Santo amaro; Vila Maria; Pinheiros; Guarulhos. Guarulhos/Pimenta; Itaquaquecetuba e Ribeirão Pires.

No interior são 12, sendo três agências na cidade de Campinas: centro, Carlos Gomes e Regente Feijó. As demais: Avaré, Botucatú, Indaiatuba; Hortolândia; Atibaia; Itatiba; São José dos Campos; Lorena e Taubaté.

A avaliação do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (Sindsprev) sobre adesão da categoria hoje (18) só será apresentada no final do dia, após a assembleia que é feita em cada uma das unidades da federação, por volta das 16h.

Segundo a entidade, 60% dos trabalhadores cruzaram os braços ontem (17), em São Paulo, no segundo dia de paralisação. Dados do ministério indicam que no Estado atuam 7.392 servidores, dos quais l.260 são médicos que não fazem parte do movimento grevista.

Reivindicações
De acordo com a Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Previdência e Assistência Social), os Estados em que há servidores mobilizados são Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo, além do Distrito Federal.

A principal reivindicação da categoria é a manutenção da carga horária de 30 horas semanais sem redução de salário. Os grevistas também defendem a contratação de pelo menos 20 mil novos servidores e a incorporação do GDASS (Gratificação de Desempenho de Atividade da Seguridade Social) ao salário.

*Com informações do UOL Notícias

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos