Juiz decreta prisão preventiva de acusada de matar marido no Rio

Do UOL Notícias
Em São Paulo

  • Divulgação

    Segundo seu advogado, Mario de Oliveira Filho, Alessandra agiu em legítima defesa contra um marido alcoolizado e que começou uma briga motivada por ciúmes


O juiz Sidney Rosa, do 3º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro, recebeu na noite desta quinta-feira (18) denúncia do Ministério Público e decretou a prisão preventiva de Alessandra Ramalho D'Ávila Nunes, 35, acusada pela morte do marido a facadas.

O empresário Renato Biasoto Mano Júnior, 52, morreu no sábado (13) em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Ele teria sido ferido a facadas no rosto e no peito ainda no apartamento. Ao sair para buscar socorro, morreu no hall do prédio.

A prisão temporária por cinco dias de Alessandra Nunes já havia sido decretada pela Justiça do Rio desde a data do crime. Os advogados entraram com pedido de revogação da medida, no 3º Tribunal do Júri, alegando que, embora Alessandra tenha dupla nacionalidade, por ter nascido nos Estados Unidos, não há risco de fuga para aquele país.

Com o recebimento da denúncia, Alessandra Nunes agora responde a ação penal pelo crime de homicídio simples, previsto no artigo 121 do Código Penal.

O juiz determinou que o mandado de prisão seja expedido imediatamente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos