Menos de metade dos brasileiros usa camisinha em relações sexuais casuais

Claudia Andrade
Do UOL Notícias
Em Brasília

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde aponta que 45,7% da população usa preservativo com parceiros casuais. O nível de conhecimento sobre as formas de infecção e prevenção da Aids, contudo, é bem maior: 95% da população sabe que o uso do preservativo é a melhor maneira de evitar a infecção pelo HIV, de acordo com o estudo.

Comportamento sexual da população sexualmente ativa entre 15 e 64 anos

IndicadorHomensMulheresTotal
Relações sexuais nos últimos 12 meses81%73,7%77,3%
Relações sexuais antes dos 15 anos36,9%17%26,8%
Mais de 10 parceiros na vida40,1%10,9%25,3%
Mais de 5 parceiros casuais no último ano13,2%4,1%8,8%
Relação sexual com pessoa do mesmo sexo, na vida10%5,2%7,6%
Pelo menos um parceiro fixo nos últimos 12 meses84,2%89%86,5%
Pelo menos um parceiro casual nos últimos 12 meses36,8%18,5%27,9%
Pelo menos um parceiro que conheceu pela internet nos últimos 12 meses10,3%4,1%7,3%
Para se chegar a um universo representativo da população, foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos, nas cinco regiões do país. Segundo o estudo, 63,8% dos homens usaram preservativo na primeira relação sexual (entre 15 e 24 anos). O percentual é de 57,6% no caso da primeira relação sexual das mulheres.

Jovens entre 15 e 24 anos de idade são os que mais fazem sexo protegido. Na última relação sexual com parceiros casuais, questão que fez parte do estudo, 68% dos jovens afirmaram ter usado preservativo. Na população acima de 50 anos, a proporção não chega a 38%. O levantamento foi feito entre os meses de setembro e novembro de 2008.

Para o Ministério da Saúde, a maior proteção entre os jovens reflete o envolvimento das escolas na educação sexual, no que se refere a atividades de prevenção às DST (doenças sexualmente transmissíveis). Campanhas dirigidas para este público também contribuiriam para aumentar o uso do preservativo.

Os jovens também são os que mais pegam preservativos nos serviços de saúde (37,5%). E 17% retiram preservativo nas escolas. "Os jovens de hoje nasceram na era da aids, por isso a relação com o preservativo é mais habitual", afirma a diretora do departamento de DST e aids do Ministério da Saúde, Mariângela Simão.

Depois da primeira relação sexual, o uso da camisinha diminui entre os jovens, mesmo em relações com parceiros casuais, passando de 61% para 50%. Com parceiros fixos, o uso do preservativo também é menor, tanto entre jovens como entre adultos. Entre os jovens, apenas 30,7% costumam fazer uso da camisinha. Acima dos 50 anos, o percentual cai para 10%.

Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, "o problema está longe de ser resolvido. A cada ano o Brasil vem registrando 33 mil novos casos de aids. Isso mostra que o tratamento apesar de necessário, não resolve o problema. Não podemos cair na banalização da doença."

Para Mariângela, quando o jovem passa a ter confiança no parceiro, o uso do preservativo deixa de ser prioridade, especialmente para as meninas.

Parceiros casuais
Os jovens entre 15 e 24 anos costumam ter mais relações sexuais com parceiros casuais. No período da pesquisa, 14,6% tiveram mais de cinco parcerias eventuais. Na população com idade entre 24 e 49 anos, o índice registrado foi de 7,2%.

A internet foi apontada como meio para os jovens conhecerem seus parceiros. No universo pesquisado, 10,5% afirmaram ter conhecido ao menos um parceiro sexual pela internet.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos