Previdenciários realizam assembleia neste sábado para definir rumo da greve

Da Agência Brasil

Os previdenciários realizam amanhã (20) uma assembleia para definir os rumos da greve, que teve início na terça-feira (16). O comando nacional de greve informou hoje (19) que a paralisação tem grande adesão nos Estados, mas não informou o percentual de quantas agências e unidades estão em greve.

Ministério diz que 95,76% das agências estão funcionando

O Ministério da Previdência Social informou em nota oficial que 95,76% do total de Agências da Previdência Social (APS) do país estão em funcionamento - o que representa 1.063 unidades - após quatro dias de greve dos servidores


Segundo boletim divulgado hoje pelos grevistas, 16 Estados e Distrito Federal estavam paralisados. A adesão varia entre 60% e 90%. Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que fazem o atendimento previdenciário, pedem a redução da jornada de trabalho de 40 horas semanais para 30 horas semanais, sem redução da remuneração. Os grevistas também defendem a contratação de pelo menos 20 mil novos servidores e a incorporação do GDASS (Gratificação de Desempenho de Atividade da Seguridade Social) ao salário.

De acordo ainda com o boletim dos previdenciários, no Maranhão, apenas os servidores da agência de Imperatriz estão em greve; em Sergipe, a greve deve começar no dia 22; Pernambuco realiza operação padrão; Goiás e Alagoas fizeram paralização de 24 horas; Rondônia, Amapá e Mato Grosso estão em processo de construção da greve. Sobre os Estados de Tocantins e Amazonas não há informação se estão ou não em greve.

O Ministério da Previdência Social informou que 95,76% das agências da previdência social abriram hoje. Nas unidades de atendimento, 81,53%, tiveram as atividades normais; em 14,23% das unidades houve atendimento parcial, e em 0,18%, a paralisação foi total. Contudo, 45 unidades não enviaram informações sobre como está o atendimento.

Quarenta e cinco unidades não enviaram informações, inclusive oito municípios nos Estados de Minas Gerais (duas), do Espírito Santo (duas), do Paraná (duas), da Bahia (um) e de São Paulo (um).

A orientação do ministério para quem não consegue atendimento por causa da paralisação é de procurar agendar outro horário na própria agencia ou pelo número 135. Caso a pessoa faça a remarcação na agência, para efeito de concessão do benefício, será considerada a data do agendamento inicial. Se a remarcação do atendimento foi feita por telefone, será considerada a data do novo agendamento.

O ministério informou ainda que não está sendo feita nenhuma negociação com os grevistas por considerar que já havia uma negociação sobre a jornada de trabalho e sobre os salários. Essa negociação culminou na Lei 11.907, de 2009, que reajustou o salários dos servidores do órgão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos