Policial federal que investiga crimes eleitorais é baleado em Alagoas

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Maceió

Atualizado às 16h42

Um policial federal integrante da força-tarefa nacional que está em Alagoas investigando crimes eleitorais foi baleado no final da manhã desta sexta-feira (26). O agente Luiz Carlos Maia Rodrigues, do Rio Grande do Sul, levou dois tiros - um no braço e outro no abdomen - e foi levado a um hospital de Maceió. Segundo o primeiro boletim médico, o policial passa bem.
  • Colaboração/UOL

    Peritos analisam local onde agente policial foi baleado, em Rio Largo, cidade perto de Maceió


O agente estava em companhia de outro em diligência, em um veículo descaracterizado, com placa de Salvador, no município de Rio Largo, região metropolitana de Maceió. Eles investigavam um crime de compra de votos no município durante as eleições de 2008.

Segundo o superintendente da Polícia Federal em Alagoas, José Pinto de Luna, depois de colherem informações na usina Canoas, zona rural da cidade, os dois agentes voltavam por uma estrada vicinal, quando o veículo foi abordado por dois homens que estavam em uma moto.

"Tinha uma poça d'água grande e quando eles reduziram a velocidade, o passageiro da moto chegou perto, saltou e sacou uma arma. Nossos homens reagiram e dispararam. Houve troca de tiros. Foi aí que um dos nossos companheiros foi atingido", disse Luna.

Neste momento, um helicóptero e pelo menos 15 policiais federais, seis delegados e dezenas de homens das polícias Civil e Militar de Alagoas fazem rondas na região à procura dos criminosos.

"Tudo levar a crer que foi uma tentativa de assalto, já que nossos agentes estavam à paisana. Mas nenhuma possibilidade será descartada agora. Ainda estamos em investigação inicial e a prioridade é prender quem praticou esse crime", informou o superintendente, que comanda pessoalmente as buscas.

"Estávamos realizando diligências normais no município, e às vezes é necessário vir à paisana, mesmo em áreas perigosas", informou José Pinto de Luna. Nenhum bem foi levado.

Rio Largo
Com 65 mil habitantes, o município de Rio Largo é um dos alvos principais da força-tarefa da PF no Estado. Em abril, o prefeito da cidade, Toninho Lins (PSB), a vice-prefeita, Dra. Fátima, e mais dez pessoas foram indiciadas pela PF. Segundo as investigações, no dia da eleição, um grupo de pessoas ligadas a eles foi preso com mais de R$ 20 mil em espécie.

Força-tarefa
Composta hoje por um delegado, sete agentes e dois escrivães, a força-tarefa foi enviada a Alagoas em março pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, com o objetivo de ajudar nas investigações dos inquéritos eleitorais pendentes das eleições de 2008. Na data, eram cerca de 300 aguardando análise.

Após concluir 21 inquéritos, apresentados no último dia 14 de abril, a PF indiciou 31 pessoas, entre elas os prefeitos de Rio Largo e de São Luis do Quitunde, Jean Cordeiro (PP), além dos vereadores de Maceió Dino Júnior (PC do B), Nery Almeida (PV) e Fátima Santiago (PP).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos