Associação quer esclarecimento de ministro após recomendação contra viagens devido à gripe suína

Guilherme Balza* Do UOL Notícias Em São Paulo

A Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) cobrou esclarecimentos ao ministro da Saúde, José Gomes Temporão, após, em pronunciamento oficial na última quinta-feira (25), ter recomendado aos brasileiros evitarem viajar para os países mais afetados pela gripe A (H1N1), conhecida como gripe suína. Argentina, Chile, México, Estados Unidos, Canadá, Austrália e Reino Unido são os países mais atingidos, em que há transmissão sustentada da doença.

Na última sexta-feira (26), o presidente da Abav, Carlos Alberto Amorim Ferreira, enviou uma carta ao ministro cobrando explicações sobre a gripe suína. "Gostaríamos de um esclarecimento maior acerca do assunto para que possamos elucidar às agencias de viagens e seus clientes quaisquer dúvidas e, ainda, orientá-los da melhor forma possível no sentido da escolha de um destino para suas viagens", diz a carta.

"O pronunciamento de V. Exa acabou por confundir a todos, uma vez que a Organização Mundial de Saúde não restringe viagens entre países desde o início do surto da doença e as autoridades argentinas garantem que implantaram um plano de atenção exaustivo ante a menor suspeita de novos contágios", afirma o texto.

Segundo a Abav, após a recomendação de Temporão, clientes estão cancelando suas viagens aos países citados, com exceção dos EUA, onde a procura cresceu nos últimos dias. A associação, entretanto, ainda não tem os números de adiamentos ou cancelamentos de pacotes.

Na carta enviada ao ministro, a Abav questiona "se a gripe suína é mais forte e mata mais do que gripes comuns" e se adianta recomendar que "as pessoas não viajem ao exterior se o vírus já está circulando no Brasil". O presidente da associação pergunta ainda ao ministro se as agências deveriam sugerir aos clientes também evitarem viajar a São Paulo, Estado com maior incidência da gripe suína, e para o Sul, onde o inverno é mais intenso, o que favorece a transmissão da doença.

"Todas as respostas para essas perguntas são muito importantes não só para o setor de Turismo, que gera empregos e renda e sente um forte impacto com esta medida, principalmente por estarmos no início da alta temporada de inverno na América do Sul, mas para toda a população."

Casal troca Buenos Aires por Rio de Janeiro
A professora de inglês Fernanda Amaral, 25, iria viajar com o namorado para Buenos Aires, na Argentina, entre os dias 10 e 17 de julho, mas desistiu após tomar conhecimento que a gripe suína havia chegado à Argentina e que, inclusive, alguns colégios de São Paulo anteciparam as férias porque alunos voltaram do país infectados.

"Fiquei assustada porque pensei que poderia voltar ao Brasil das férias com a gripe. Moro com meus pais e minha avó de 80 anos. Quando soube que a gripe poderia ser fatal para idosos e crianças, pensei que se voltasse com o vírus poderia contaminar meus familiares, o que causaria um efeito multiplicador", afirmou.

O casal não teve problemas para conseguir o reembolso do que já havia sido pago na viagem. "Nós cancelamos o hotel, que vai nos mandar o dinheiro de volta. As passagens também foram canceladas e não tivemos que pagar multa, pelo contrário, eles devolveram até as taxas de embarque que tinham sido pagas com cartão de crédito antecipadamente", diz Amaral.

De acordo com o Procon-SP, não há registros de pessoas que tiveram problemas para conseguir ressarcimento de pacotes e passagens canceladas. "Mas o reembolso só pode ser feito nos guichês dos aeroportos, e não por telefone", afirma a professora, que, junto com o namorado, decidiu viajar de carro para o Rio de Janeiro.

Segundo o órgão, o turista com viagem marcada para regiões afetadas pela doença tem o direito de trocar o pacote ou passagem para outra data ou local, sem pagamento de tarifas ou taxas, ou cancelar o contrato, com direito a restituição da quantia já paga, monetariamente atualizada, sem pagamento de multa.

De acordo com o Procon, o consumidor deve procurar a empresa que vendeu o pacote de viagens ou a passagem e tentar um acordo. O que for combinado entre as partes deve constar em contratado assinado pelo cliente e pela empresa, segundo o órgão.

Ministério da Saúde adota novas medidas
Desde que os casos de gripe suína se multiplicaram no país, o Ministério da Saúde adotou novos procedimentos nos aeroportos e fronteiras do país. Todos os passageiros que chegam ao país são obrigados a preencher a Declaração de Saúde do Viajante (DSV), que deverá ser distribuída dentro de cada meio de transporte, segundo o ministério.

Cerca de 500 mil formulários foram distribuídos em portos, aeroportos e áreas de fronteira. Cada formulário tem uma parte destacável para que as pessoas levem para casa as orientações sobre a gripe suína. De acordo com o ministério, funcionários foram remanejados para postos de fronteiras e no Aeroporto Internacional de Guarulhos e fiscais e agentes foram destacados para fiscalizarem a saída dos passageiros.

*Colaborou Fabiana Uchinaka, do UOL Notícias, em São Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos