Justiça do Rio condena falsa cigana por estelionato

Do UOL Notícias
Em São Paulo

O Tribunal de Justiça do Rio manteve em segunda instância a condenação de três anos de prisão por estelionato e uso de documento falso a uma mulher que se apresentava como cigana em Niterói. Segundo nota da Justiça fluminense, a falsa cigana enganou uma vítima dizendo ter poderes sobrenaturais e convencendo-a de que sua família corria perigo.

Em novembro de 2005, a condenada teria oferecido seus serviços para desfazer um "trabalho" em troca de R$ 20 mil. Caso o feitiço não fosse desfeito, o filho da vítima seria sequestrado e o pai dela apareceria "com a boca cheia de formiga".

Os desembargadores da 3ª Câmara Criminal consideraram que a falsa cigana se aproveitou da fragilidade emocional da vítima, que estava separada do marido e tinha uma sobrinha doente, para induzi-la ao erro. No processo, há cópias de um contrato de empréstimo de R$ 7.923 que data de dezembro de 2005 e de 12 cheques de R$ 600 cobrados mais tarde. A mulher também recebeu bens materiais, como um telefone e quatro pares de sapato, que seriam dados aos "anjos da guarda", de acordo com nota do TJ.

A cigana cumprirá a pena em liberdade e terá de prestar serviços comunitários e doar cestas escolares ou de material de construção.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos