Angra 1 é desligada preventivamente por falha na refrigeração do condensador

Thais Leitão
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

A Usina Nuclear Angra 1 foi desligada preventivamente do sistema elétrico nacional às 5h19 de hoje (3) por causa de uma falha verificada nas bombas de água de circulação que refrigeram o condensador. Em nota à imprensa, a Eletronuclear informou que esses equipamentos não fazem parte dos sistemas nucleares da usina.

Susto no RJ

  • Luciana Whitaker/Arquivo Folha Imagem

    Falha no sistema de refrigeração da usina nuclear em Angra dos Reis obrigou a pausa no sistema


Na sequência, foi declarada a ocorrência de evento não usual (ENU), conforme previsto no Plano de Emergência Local da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA). A usina deve ser religada ao sistema elétrico até o fim do dia.

De acordo com o superintendente da unidade, Jorge Luiz de Rezende, o reator foi desligado manualmente pelo operador, que se antecipou ao sistema automático ao verificar o problema.

"Essa antecipação é importante porque não chegamos a desafiar o limite operacional. O operador se antecipou porque percebeu que houve desbalance [desequilíbrio] no resfriamento das bombas que puxam a água do mar para resfriar os reatores", explicou.

Segundo ele, a falha no equipamento poderia causar, sem a intervenção manual ou automática, um superaquecimento do sistema secundário. Localizada em Angra dos Reis, no litoral fluminense, Angra 1 representa 20% do consumo de energia do Estado do Rio.

Há pouco menos de um mês, a falha de um equipamento que fechou indevidamente a válvula de alimentação de água para o gerador de vapor número 1 também causou o desligamento de Angra 1 do sistema elétrico. Na ocasião, a empresa garantiu que não houve vazamento de nenhum tipo de radiação para os funcionários da usina, nem para o meio ambiente.

Entre os meses de março e junho, a usina teve a operação paralisada e reduziu sua capacidade de geração de energia devido à troca dos geradores de vapor. Os equipamentos que foram substituídos estavam em funcionamento desde que Angra 1 foi ligada pela primeira vez, em 1982. Os novos, com 330 toneladas cada, foram construídos pela Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, sob a supervisão da empresa Areva, da França.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos