MPF quer que prefeito de Taubaté (SP) perca o cargo por improbidade administrativa

Do UOL Notícias
Em São Paulo

O Ministério Público Federal acusou de improbidade administrativa o prefeito de Taubaté (SP), Roberto Pereira Peixoto, e o diretor do Departamento de Educação e Cultura da cidade, José Benedito Prado. Eles teriam utilizado R$ 33, 4 milhões para comprar apostilas de ensino superfaturadas entre 2006 e 2008. O MPF quer que os dois percam seus cargos por mau uso de dinheiro público.

Segundo nota da Procuradoria da República em São Paulo, as apostilas eram fornecidas pela empresa Expoente e "vários erros de informação e gramaticais" no material já foram divulgados pela imprensa.

Ainda de acordo com a nota, o procurador da República em Taubaté, João Gilberto Gonçalves Filho, acredita que a verba gasta poderia ter sido poupada e aplicada na construção de creches, já que o governo federal fornece apostilas à rede pública de ensino. Mais de 1.500 crianças estão sem vaga nas creches do município, segundo levantamento do Conselho Tutelar citado pela Procuradoria.

O MPF também pediu a devolução dos R$ 33,4 milhões aos cofres públicos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos