RS já monitora 3.000 casos potenciais de gripe suína, diz secretário

Flávio Ilha
Especial para o UOL Notícias
Em Porto Alegre

O secretário de Saúde do Rio Grande do Sul, Osmar Terra, reconheceu nesta sexta-feira (3) que há mais de 3.000 pessoas sendo monitoradas no Estado como potenciais portadoras do vírus H1N1, que causa a gripe suína.

O avanço da nova gripe

  • Divulgação

    O Rio Grande do Sul tem 2.000 postos de saúde e 300 hospitais credenciados para atender casos suspeitos de gripe suína. "Não existe falha. Existe a tentativa de retardar ao máximo o risco de epidemia, mas ela é inevitável", explicou o secretário de Saúde
    do Estado, Osmar Terra

Essas pessoas tiveram contato com algum dos 106 pacientes já infectados no Rio Grande do Sul, seja no âmbito familiar, profissional ou escolar. Um número "considerável" de monitorados, segundo o secretário, vai desenvolver os sintomas da doença. Para ele, uma epidemia de gripe suína no Rio Grande do Sul "é questão de tempo".

Terra evitou alarmar a população, mas reconheceu que o esforço de contenção para evitar a entrada do vírus pela fronteira com a Argentina e com o Uruguai serve apenas para "ganhar tempo" contra a nova gripe. "A partir de um determinado momento a contenção vai ficando inviável e a propagação do vírus foge do controle", disse o secretário.

No status de epidemia, o registro de casos suspeitos passa a considerar sintomas mais abrangentes e genéricos. Além disso, a velocidade de contágio aumenta, assim como o número de notificações aos órgãos de controle. Segundo ele, Argentina, com 1.500 casos notificados e 44 mortes, e Uruguai, com 45 casos confirmados e quatro mortes, já estão no estágio de epidemia.

Terra disse que a Argentina não adotou medidas de contenção e que o número de doentes no país vizinho deve ser superior a 10 mil. Mas, como a gripe suína tem se mostrado branda, o secretário disse que não há necessidade de restringir a circulação de pessoas entre os países vizinhos.

Segundo ele, todos os casos confirmados no Estado foram contraídos em outros países ou a partir de pessoas que viajaram recentemente ao exterior. Além dos 106 casos, há outras 187 pessoas suspeitas de estarem com a gripe no Estado.

O secretário disse que 99,9% dos casos estão sendo notificados no Rio Grande do Sul. A contenção, segundo Terra, tem se dado de forma mais intensa nas cidades de fronteira. O Estado tem 2.000 postos de saúde e 300 hospitais credenciados para atender casos suspeitos de gripe suína. "Não existe falha. Existe a tentativa de retardar ao máximo o risco de epidemia, mas ela é inevitável", explicou.

O trabalho de contenção vem sendo exercido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em sete pontos de fiscalização estruturados de fronteira. Terra anunciou que o Estado vai ampliar a fiscalização para mais oito pontos de entrada no país. No total, serão 15 pontos fiscalizados no Rio Grande do Sul.

A participação do Exército também está sendo negociada entre a Anvisa e o Ministério da Defesa. O diretor da Anvisa, Paulo Coury, disse em Porto Alegre que a partir de agora todas as pessoas que cruzarem a fronteira, seja em transporte coletivo ou em veículos de turismo, terão que preencher um formulário denominado "Declaração de Saúde do Viajante". Através do formulário, será possível rastrear e localizar o passageiro em caso de necessidade.

O secretário também pediu ao Ministério da Saúde um aumento de recursos do Fundo Nacional de Saúde para ampliar o atendimento no Estado à população nos meses de inverno. Ele solicitou R$ 1 milhão a mais por mês, considerando que o Rio Grande do Sul deverá registrar mais casos de gripe suína do que outros Estados.

O secretário informou que o estado de saúde da adolescente de 14 anos internada no Hospital Universitário de Santa Maria - o primeiro caso registrado no Estado - continua grave, embora a menina não apresente mais sinais de infecção. A adolescente, que contraiu a doença em uma viagem à Argentina, está em coma induzido e respirando artificialmente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos