Polícia prende quatro acusados do assassinato de psicóloga em SP

Do UOL Notícias
Em São Paulo

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou na manhã desta quarta-feira (8) que foram presas quatro pessoas acusadas do assassinato da psicóloga da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Renata Novaes Pinto, 44, em novembro do ano passado, no bairro da Vila Madalena, na zona oeste da capital. A vítima foi assassinada com três tiros na cabeça, quando chegava em sua casa, na rua Judite.

Os presos são: José Nilton da Silva Moreira, Claudemir Rossi Marques, José Mendes Rodrigues do Prado e Claudemir Macário dos Santos. Os três primeiros confessaram o crime, segundo a SSP.

O quarto, que seria o mandante, nega as acusações. Ele é ex-PM e foi expulso da corporação por receptação, segundo a secretaria.

Durante as investigações, a polícia trabalhou com a hipótese de execução, e descartou a possibilidade de a psicóloga, que tinha quatro filhos, ter sido vítima de latrocínio.

Renata era a responsável, no departamento de psiquiatria da Unifesp, pelo atendimento de pacientes com câncer.

A polícia apresentará os presos e dará mais informações sobre as investigações do crime em entrevista coletiva marcada para as 11h, na 3ª seccional Pinheiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos