Temporão anuncia reforço emergencial de R$ 2 milhões para combate à gripe suína no RS

Flávio Ilha
Especial para o UOL Notícias
Em Porto Alegre

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou nesta sexta-feira (10) em Porto Alegre a liberação emergencial de R$ 2 milhões para combate à gripe suína no Rio Grande do Sul. Os recursos serão utilizados para o tratamento de pacientes suspeitos de contaminação e poderão ser maiores de acordo com a necessidade do Estado.

"É a principal área de risco do país em função da fronteira", justificou o ministro depois de reunião com a governadora Yeda Crusius e o secretário da Saúde Osmar Terra. Segundo Temporão, dois em cada três casos registrados no país foram transmitidos pela Argentina.

Temporão garantiu que o avanço da doença no Brasil, que contabiliza 977 casos até o momento, não vai alterar a estratégia de combate do Ministério da Saúde. "Não há evidências de um aumento da transmissão sustentada [da doença] neste momento no país. Vamos continuar com nossa política de contenção, embora não possamos excluir a hipótese de uma epidemia", disse.

Na semana passada, o secretário da Saúde do Rio Grande do Sul disse que uma epidemia da gripe suína em solo gaúcho era inevitável. "Não devemos criar pânico onde não há motivo para pânico", ressalvou o ministro.

A estatística do Ministério aponta que 28,5% dos casos confirmados no Brasil foram transmitidos de forma autóctone, ou seja, não envolveram pessoas vindas de outros países. Há uma semana, esse índice era de 11%.

Temporão, entretanto, recomendou que as pessoas com algum dos sintomas da gripe, especialmente febre acima de 38 graus, procurem a rede pública de saúde para acompanhamento médico. "Nada de chazinho da vovó. A conduta mais prudente é procurar o serviço de saúde", disse.

Além da liberação emergencial de recursos, o ministro anunciou também a criação de uma rede de hospitais na fronteira com Argentina e Uruguai e em Porto Alegre para casos suspeitos de gripe. Os hospitais reservarão leitos extras apenas para pessoas com sintomas graves de contaminação e receberão R$ 1.000 por mês para cada internação. No total, estão sendo disponibilizados 100 leitos em cidades de fronteira.

Temporão anunciou ainda a construção de 16 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) no Estado em 2009, como forma de liberar leitos da rede de saúde para o atendimento emergencial de pacientes.

As UPAs, com capacidade para atender 600 pessoas por dia, serão construídas em Porto Alegre e em mais 14 cidades do interior do Estado. O valor investido, segundo o ministro, será de R$ 34,4 milhões.

Para 2010, Temporão prometeu a construção de mais 16 unidades no Rio Grande do Sul. A manutenção das unidades vai custar R$ 37,7 milhões por ano e será dividida entre União, Estado e municípios. As primeiras UPAs deverão funcionar apenas no início do ano que vem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos