Menino de 9 anos é a terceira vítima de gripe suína no país

Flávio Ilha* Especial para o UOL Notícias Em Porto Alegre

Atualizado às 19h19

Você mudou sua rotina por causa da gripe suína?


A Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul confirmou nesta segunda-feira (13) que um menino de nove anos, morador da cidade de Sapucaia do Sul, na região metropolitana de Porto Alegre, é a terceira vítima fatal da gripe suína no país.

O garoto, que não teve a identidade revelada, morreu no dia 5 de julho no Hospital de Clínicas da capital, vítima de complicações respiratórias. Foi a segunda morte no Rio Grande do Sul e a terceira no país - a outra foi confirmada em São Paulo.

O secretário da Saúde, Osmar Terra, foi quem confirmou a morte. De acordo com Terra, o menino apresentou os primeiros sintomas no dia 1º de julho. Um dia depois, foi internado no hospital. O menino pode ter contraído a doença do irmão adolescente, que apresentou sintomas leves de gripe em 27 de junho. O rapaz é contato de uma professora que também apresentou sintomas após viagem à Argentina. Um familiar da professora também foi contaminado pela influenza A (H1N1), segundo o Ministério da Saúde.

O ministério confirmou a morte no final da tarde de hoje e afirmou que a terceira vítima tinha "doenças crônicas preexistentes (fatores de risco para o agravamento da doença)"

"Lamento dizer, mas me parece que é uma questão de dias tratar a gripe suína como epidemia no Estado", disse secretário da Saúde do RS. Segundo ele, a localização geográfica, de fronteira com países onde a doença avança sem controle, deve fazer do Rio Grande do Sul a região com mais casos no Brasil.

Segundo balanço divulgado na última sexta-feira (10), há 128 casos confirmados de gripe suína no Rio Grande do Sul e 419 casos suspeitos. Segundo o Ministério da Saúde, o país tem 1.027 doentes. São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro são os Estados com maior número de pessoas contaminadas.

O secretário gaúcho disse que não há motivo para pânico por parte da população. Segundo ele, é preciso ter os mesmos cuidados que em relação a uma gripe comum. "Isso quer dizer alimentação saudável e vestimenta adequada para os dias mais frios", disse Terra.

A primeira morte em consequência da gripe suína foi confirmada no dia 28 de junho. O caminhoneiro Vanderlei Vial, de 29 anos, morreu no Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo. Ele esteve na Argentina a trabalho e havia retornado uma semana antes ao Brasil.

Ele permaneceu na Argentina por sete dias e começou a apresentar os sintomas de febre, tosse e dor muscular no dia 15 de junho, ainda no país vizinho. Voltou ao Brasil no dia 19, quando foi internado. No dia seguinte, recebeu o diagnóstico da doença. Três dias depois, o paciente teve uma piora, apresentando insuficiência respiratória e morreu.

Na última sexta-feira (10), a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou a segunda morte no país pela gripe suína. Trata-se de uma menina de 11 anos, que morreu no fim de junho em um hospital particular de Osasco (Grande São Paulo).

Ela apresentou sintomas como febre, vômito e dor abdominal, no dia 28 de junho. No dia 29, ela teve febre de 39ºC, tosse e dores no corpo. No dia seguinte, foi levada pelos pais a um hospital particular no qual foi internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde teve uma parada cardiorespiratória e morreu.

O diagnóstico só foi confirmado depois da morte da menina, quando pessoas da família dela também começaram a apresentar os sintomas da gripe suína.

* Com informações do UOL Notícias, em São Paulo

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos