Justiça revoga prisão de ex-vereador acusado de atuar em milícia no Rio

Vitor Abdala
Da Agência Brasil
No Rio de Janeiro

A juíza Alexandra de Aráujo Bilac, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, revogou hoje (14) a prisão preventiva do ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, no processo em que ele é acusado de extorsão. A decisão da Justiça se estende também a outros três acusados, entre eles o filho de Jerominho, o ex-policial militar Luciano Guinâncio Guimarães.

Mas, de acordo com o Tribunal de Justiça, Jerominho não será solto, já que ele foi condenado, em outro processo, a dez anos de prisão por formação de quadrilha. Nesse outro processo, Jerominho e seu irmão, o ex-deputado estadual Natalino Guimarães, são acusados de envolvimento com uma milícia, na zona oeste do Rio.

No processo analisado hoje, eles são acusados de extorquirem motoristas e cooperativas de transporte alternativo de passageiros, que atuam na zona oeste do Rio de Janeiro. Uma das testemunhas no processo, Juarez Marcelino Dutra, denunciou os acusados de ter sido obrigado a pagar R$ 44 para continuar circulando na região. Depois de fazer a denúncia, ele foi morto com vários tiros, em Campo Grande.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos