Mulheres da Paz recebem capacitação para combater avanço do vírus influenza A (H1N1)

Thais Leitão Da Agência Brasil No Rio de Janeiro

Cerca de 200 integrantes do projeto Mulheres da Paz, moradoras de diversas comunidades carentes do estado do Rio de Janeiro, receberam na manhã de hoje (30) capacitação sobre como combater a influenza A (H1N1) - gripe suína. No próximo fim de semana, elas vão promover ações para conscientizar moradores de suas comunidades.

O objetivo inicial era que elas percorressem ainda hoje (29) a comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio, para informar a população sobre a doença e como evitá-la. Mas, por causa da chuva que atinge a cidade desde o início da manhã, essa etapa da ação foi suspensa e deve ser remarcada nos próximos dias.

De acordo com a coordenadora do Mulheres da Paz, Idália Miranda, a preocupação maior com a Rocinha, onde vivem aproximadamente 300 mil pessoas, deve-se ao fato de a comunidade já ter elevado número de registros de tuberculose. A ocorrência simultânea da influenza A (H1N1) poderia ser ainda mais perigosa.

"Na Rocinha são diagnosticados cerca de 55 novos casos de tuberculose a cada mês. Como as pessoas que contraem a doença já ficam com a saúde debilitada, se elas também tiverem a gripe suína podem correr riscos mais sérios. Além disso, numa comunidade com essa dimensão, onde as pessoas vivem muito próximas umas das outras, qualquer doença tem uma possibilidade de disseminação muito rápida. Por isso, é preciso conscientizar os moradores sobre o que eles podem fazer para evitar o contágio", explicou Idália.

Para Ana Lúcia Cardoso, moradora da comunidade, a ação das integrantes do projeto é mais facilmente assimilada pela população porque elas já são referência para os moradores. O projeto faz parte do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci), do Ministério da Justiça, e tem como objetivo incentivar mulheres a combater a violência, mediante o fortalecimento de redes de prevenção.

"Eles já estão acostumados a nos verem como referência em diversos sentidos. Então, quando transmitimos qualquer orientação, é mais fácil delas serem levadas a sério", disse.

Entre as principais recomendações estão a higienização freqüente das mãos, sempre que possível com o uso de álcool; a manutenção de ambientes arejados, com as janelas abertas; e a busca por auxílio médico logo que surgirem os sintomas da doença.

Desde o início da semana, começou a funcionar no Rio de Janeiro o Disque-Gripe (0800-2810-100), um serviço telefônico gratuito para tirar dúvidas da população sobre a doença.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos