Família de vítima de gripe suína em São Caetano (SP) pretende processar médicos

Do UOL Notícias Em São Paulo


A família da educadora Ana Néri Hernandes, 42 anos, morta no dia 29 em decorrência da nova gripe, pretende processar os médicos que a atenderam no Hospital Albert Sabin, em São Caetano, região metropolitana de São Paulo. Segundo os parentes, houve descaso com a paciente. As informações são do "Diário do Grande ABC".

No dia 24, depois de ter procurado médicos particulares, Ana buscou ajuda no hospital público da cidade. Chegou com febre na unidade de emergência e passou por triagem. Exames e radiografia teriam despertado a atenção do médico que a atendeu. O diagnóstico foi começo de pneumonia.

"Perguntei se não seria o caso de fazer o teste para a gripe suína", diz Maria Cristina, irmã de Ana, que a acompanhava.

O médico responsável pelo setor foi consultado e descartou a necessidade do teste, alegando, segundo a irmã de Ana, que eles eram realizados apenas para efeito de estatística.

O primeiro médico sugeriu então que elas procurassem o Hospital Mário Covas, em Santo André, também na Grande São Paulo, mas as irmãs preferiram ir para casa.

"Imaginei que fosse expor a minha irmã a riscos de contaminação se fosse até outro hospital novamente", justificou Maria Cristina.

O quadro de Ana piorou durante o final de semana e elas foram até o Hospital São Caetano, de onde Ana Néri foi transferida para o Hospital Santa Cecília, na capital paulista, onde morreu.

A Prefeitura de São Caetano informou que a ouvidoria da Secretaria de Saúde investiga a conduta dos médicos no caso de Ana Néri.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos