Com Ronaldo, governo faz campanha para reduzir número de crianças sem certidão de nascimento

Do UOL Notícias
Em São Paulo

O jogador Ronaldo Nazário, atacante do Corinthians, é a estrela da campanha que o governo federal lançou nesta tarde em São Paulo para reduzir o número de crianças que acabam não sendo registradas após o nascimento.

Assista à propaganda com Ronaldo



Falta de registro civil

  • Arte UOL
"Ajude a família Brasil a crescer. Para fazer a certidão de nascimento, vá ao cartório mais próximo ou se informe na prefeitura sobre os mutirões. A certidão é grátis", afirma Ronaldo na peça publicitário em vídeo que gravou para a Secretaria Nacional de Direitos Humanos. A campanha procura explorar a ideia de que a identidade mais importante de Ronaldo (que já teve os apelidos de Ronaldinho e Dadado) é a sua certidão de nascimento. Atualmente, a certidão de nascimento tem de ser feita pelos cartórios gratuitamente.

Dados de 2007 apontam que cerca de 380 mil bebês nascidos por ano não foram registrados até um ano de idade - ou 12,2% do total de crianças. Mas em Estados como Amapá, Piauí e Alagoas a porcentagem passa de 30%, enquanto em Roraima 40,1% das crianças não foram registradas em 2007.

Em 1997, a média nacional era de 30,2%. O governo espera que até 2010 esse número esteja em 5%, o que, segundo o governo, significa erradicar o sub-registro, de acordo com os padrões internacionais. Para Roraima e Amapá, em 2010, a meta é um pouco menos ambiciosa: 12% de sub-registro.

O filme é parte da campanha. Além do vídeo, estão sendo distribuídas cartilhas com a imagem do jogador e textos explicativos para prefeitos, juízes, promotores, defensores públicos e registradores.

Carros de som e rádios vão transmitir o jingle da campanha. O governo organizará ainda 1.292 mutirões, especialmente na região da Amazônia Legal e no Nordeste para incentivar a emissão de certidões de nascimento e de outros documentos básicos - RG, CPF e carteira de trabalho.

20/5: Alagoas inaugura primeiro cartório dentro de uma maternidade

Como outras duas medidas, o governo pretende reduzir os casos de sub-registro: a abertura de cartórios dentro de maternidades e a validade jurídica do primeiro documento que toda crianças recebem, que é a certidão de nascido vivo.

Na quinta-feira (20/8), o ministro Paulo Vannuchi concedeu uma entrevista a uma rede de rádios, organizada pela estatal Empresa Brasileira de Comunicação.

A campanha pela certidão de nascimento foi o principal assunto da entrevista, mas Vannuchi também tratou da ação de milícias no Rio, da morte do advogado Manuel Mattos, vice-presidente do PT de Pernambuco, no início do ano, e da busca de corpos de mortos durante a Guerrilha do Araguaia, na década de 1970, sob a ditadura militar.

Ouça a entrevista de Paulo Vannuchi

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos