Moradores de favela em SP perdem moradia, pertences e lamentam reintegração de posse

Marcelle Ribeiro
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Mil moradores resistem à reintegração de posse

PM acredita que cerca de 400 pessoas, das 1.500 que moram na favela do Parque do Engenho, já tenham sido retiradas


Atualizada às 12h27

Moradores da favela Parque do Engenho, no Capão Redondo, zona sul de São Paulo, retirados da comunidade devido a uma ação de reintegração de posse, permanecem com seus pertencem na calçada da rua Ana Aslam.

Muitos não têm para onde ir, como o pedreiro Dione dos Santos, 34, que conseguiu retirar uma geladeira e roupas do barraco em que morava com a mulher e três filhos. Os objetos da família estão na rua e na casa de vizinhos. Ele ainda não sabe para onde levar seus pertences.

Confira imagens da reintegração

Segundo Dione, a viação Campo Limpo, dona da área reintegrada, ofereceu transporte para levar os pertences ao um galpão, mas ele recusou por ser distante. "Acabei de comprar um guarda-roupa e o perdi", afirma.

Outros moradores, como Priscila Aparecida Silva Araújo, 23, não conseguiram recuperar quase nada. "Eles [os policias militares] jogaram bomba de pimenta, e eu só me preocupei com meu pai, que usa cadeira de rodas e morava em outro barraco".

Araújo diz que quando voltou para o local onde morava quase tudo estava destruído. Já a dona-de-casa Maria Mônica dos Santos, 29, irá para a casa da mãe com os dois filhos. "Fomos avisados da ação, mas acabei ficando porque não tinha transporte para retirar minhas coisas de casa". Ela, que só conseguiu recuperar algumas panelas, uma televisão, um rádio e alguns brinquedos.

Viação nega versão de moradores
O advogado da viação Campo Limpo, Daniel Goes, afirmou que a empresa está oferecendo 14 caminhões para as famílias levarem seus pertences para o local que preferirem, e não apenas para o galpão disponibilizado pela empresa no bairro São Marcos. Ele disse também que a desocupação pacífica foi negociada com os moradores.

"A liminar de reintegração de posse já estava deferida pela Justiça desde fevereiro. A PM e vários órgãos do governo fizeram cinco reuniões com a comunidade para tentar uma desocupação pacífica. Sempre quisemos que a saída fosse voluntária", afirmou.

De acordo com o advogado, o transporte foi oferecido desde as primeiras reuniões com os moradores. Goes disse que não sabe o que a viação fará com o terreno.

Veja o local da reintegração

  • A reintegração ocorre na favela Parque do Engenho, formada por cerca de 800 barracos, localizada na região do Capão Redondo, periferia da zona sul da capital

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos