Um em cada cinco profissionais de segurança diz ter sofrido tortura

Do UOL Notícias
Em São Paulo

Um em cada cinco profissionais de segurança do país, principalmente policiais militares e bombeiros, diz já ter sofrido tortura. É o que revela pesquisa encomendada pelo Ministério da Justiça, que ouviu quase 65.000 PMs, policiais civis, guardas municipais, bombeiros e agentes penitenciários.



Aproximadamente 19% dos entrevistados afirmaram já ter sido vítimas de violência física em serviço; 6,4% dizem ter sido ameaçados de morte por outro policial; e 4,2% revelaram que já foram agredidos por outros policiais.

Outros 42% dizem que sofreram ameaças de morte ou violência física por pessoas condenadas ou suspeitas de atividades ilícitas e 2,6% afirmam que já foram baleados em serviço. Mais da metade (53,9%) disse ter sofrido humilhações de superiores.

A pesquisa revelou ainda que 61,1% dos profissionais de segurança se sentem discriminados pelas funções que exercem. Quase 25% dos entrevistados afirmaram que já foram acusados injustamente de ter cometido algum delito.

Os pesquisadores perguntaram aos profissionais se eles escolheriam a carreira atual, caso pudessem optar novamente: 55,3% disseram que sim, enquanto 29% responderam que escolheriam outra profissão. Os 15,7% restantes ficaram em dúvida.

Segundo o levantamento, divulgado nesta terça-feira (27), os mais satisfeitos com a escolha são os bombeiros (63,5%), seguidos pelos oficiais da PM (62,1%), agentes da Polícia Civil (54,9%) e praças da PM (54,8%).

O levantamento identificou ainda que 69,8% dos profissionais de segurança querem mudanças no modelo institucional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos