Grito dos Excluídos em São Paulo leva às ruas protesto contra a situação do país

Daniel Mello
Da Agência Brasil
Em São Paulo

O Grito dos Excluídos, marcha paralela ao desfile da Independência do Brasil, serviu para mostrar que existem pessoas inconformadas com atual situação do país, afirmou a coordenadora da romaria a pé, Célia Leme.

A caminhada foi iniciada ontem(6), na Paróquia de Perus, e percorreu diversos pontos da capital paulista, até a missa realizada na manhã de hoje(7), na Catedral da Sé. Após o culto, os manifestantes caminharam até o Monumento do Ipiranga.

Segundo Célia Leme, o movimento é importante para "fazer ecoar que, apesar da aparente normalidade, tem gente que não está satisfeita com essa situação".

Ela se refere tanto a problemas como a fome e a violência como aos recentes escândalos no Senado Federal. "A questão da crise no Senado está pegando muito forte. Mexeu forte com a população e com a sociedade organizada", disse Célia.

Ela estimou que cerca de 2 mil pessoas participaram do protesto de hoje. O Grito dos Excluídos é organizado há 15 anos por várias pastorais sociais da Igreja Católica, organizações e movimentos sociais. Neste ano, o lema da manifestação foi: "Vida em primeiro lugar: a força da transformação está na organização popular".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos