Após seis horas, marginais saem do estado de alerta em SP; cidade deixa estado de atenção após 13 horas

Do UOL Notícias*
Em São Paulo

Atualizada às 22h02

  • Rodrigo Coca/Foto Arena/AE

    Os rios Pinheiros e Tietê transbordaram, o que provocou enormes congestionamentos nas marginais e vias de São Paulo

As marginais do Tietê e do Pinheiros saíram do estado de alerta na capital paulista, após cerca de seis horas, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências da prefeitura (CGE). As vias ficaram nessa situação das 13h20 até as 18h40 desta terça-feira (9).

Já o resto da cidade deixou o estado de atenção após cerca de 13 horas. A escala utilizada pelo CGE passa por observação, atenção, alerta e alerta máximo. Chuvas fortes causaram caos e transtornos em várias cidades das regiões Sul e Sudeste do país.

O trânsito começou a melhorar por volta das 22h, quando a cidade possuía 17 km de vias congestionadas, o que representa 2,1% das vias monitoradas. O congestionamento é maior na região norte, com 9 km, seguida pela zona leste, com 8 km.

O rodízio foi suspenso esta tarde em razão dos transtornos, mas volta a valer nesta quarta (9) normalmente, informou a Secretaria Municipal de Transportes.

Aeroportos
Boa parte dos voos que partem dos principais aeroportos do país apresentaram problemas nesta terça-feira. Dos 2.213 voos programados, 165 foram cancelados e 890 atrasaram (160 estão atrasados neste momento), segundo a Infraero.

Em Congonhas, 120 voos atrasaram e 71 foram cancelados. Em Cumbica foram registrados 138 atrasos e 13 cancelamentos, e, em Campinas, 29 voos atrasados e 1 cancelamento.

Previsão do tempo
As chuvas que atingiram as regiões Sul e Sudeste devem continuar nesta quarta-feira (9), segundo Mônica Lima, meteorologista do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec/Inpe). De acordo com ela, a massa de ar úmida ficará estacionada sobre São Paulo, causando fortes chuvas e temporais no Estado.

Já uma frente fria permanece sobre o Sul do país, ocasionando queda nas temperaturas. Os temporais, entretanto, devem dimuinuir em algumas áreas. "A região continua em alerta, mas não se espera chuva tão intensa", disse.

De acordo com Lima, as fortes chuvas foram causadas por um frente fria vinda do sul, que, ao se encontrar com a massa de ar quente, causou os fortes temporais. "O encontro da massa quente com a umidade da massa fria favorece a formação de nuvens cúmulo-nimbo, que são associadas a fortes temporais", explicou.

*Com informações da Agência Estado

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos